AgronegócioDestaqueNotícias

Milho, soja e trigo vão seguir em alta?

Compartilhar:

O aperto dos balanços dos Estados Unidos e dos exportadores será pouco alterado em 2022/23, o que valida os preços atuais de milho, trigo e soja aonde estão, de acordo com a Consultoria AgResource Brasil. “A vantagem adicional permanece presente até que os tamanhos finais das safras do Hemisfério Norte sejam observadas”, afirmam os analistas ao comentarem o relatório do USDA (Departamento de Agricultura dos EUA) divulgado nesta segunda-feira.

No entanto, a AgResource destaca a principal diferença entre o mercado em 2022/23 e os últimos anos: “O período de 2020 a 2021 foi definido por questões meteorológicas na América do Sul, mas também por um crescimento sem obstáculos da demanda, especialmente da China”.

O USDA projeta crescimento apenas sete milhões de toneladas na demanda combinada de milho, trigo e soja no ano-safra de 2022/23, o que seria a menor taxa desde 2012/13. “É fundamental que o clima se normalize na América do Sul entre novembro e março, mas os rendimentos acima da tendência na América do Sul iniciarão o processo de construção de estoques globais de milho e soja em meio ao fraco crescimento do consumo”, alerta.

MILHO

De acordo com a AgResource Brasil, os dados do milho de setembro do USDA foram de favoráveis à altistas. Os analistas afirma não ter “grande desacordo com o balanço atualizado do USDA. Existe um suporte sólido abaixo de 6,25 a 6,50 dólares até que grandes colheitas sulamericanas sejam conhecidas”.

De acordo com a AgResource Brasil, os dados do milho de setembro do USDA foram de favoráveis à altistas. Os analistas afirma não ter “grande desacordo com o balanço atualizado do USDA. Existe um suporte sólido abaixo de 6,25 a 6,50 dólares até que grandes colheitas sulamericanas sejam conhecidas”.

“No entanto, após dois anos completos de preços altos, problemas de Covid na China, uma economia global em desaceleração e uma guerra em andamento na Ucrânia, o mercado mundial deverá diminuir ano a ano pela primeira vez desde 2016. A AgResource acredita que nem tudo é favorável e otimista esse ano em relação ao milho em 7,00 dólares”, concluem.

Fonte: Agrolink

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo