NotíciasTecnologia

Golpe do Nubank: Fraude também irrita usuários pela insistência, mesmo com prática já conhecida

Compartilhar:

Receber ligações ou mensagens desconhecidas é realidade de qualquer pessoa que tenha um celular. Com medo de golpes ou até mesmo para fugir do assédio do telemarketing, muitos recorrem a sistemas de filtro ou bloqueio de ligações. Mas, e quando as ligações são insistentes e diárias, o que fazer?

Nesta semana, as redes sociais foram tomadas novamente por relatos de pessoas que sofreram tentativas do temido ‘Golpe do Nubank’. É que mesmo conhecido e bem divulgado, até mesmo pela operadora de cartão de crédito, os criminosos seguem entrando em contato, se passando pelo banco ou por outra empresa, a fim de induzir o fornecimento de informações pessoais ou até mesmo transações bancárias fraudulentas.

“Todos os dias me ligam, duas ou três vezes, às vezes de linha com prefixo 0800. Isso sem falar nos e-mails e nas mensagens de texto. Numa dessas, resolvi ir até o final, falar com o atendente, e perguntar porque eles ficam insistindo num golpe que todo mundo conhece. Aí a ligação cai. O problema é que não dá pra bloquear, não tem como pedir pra retirar do cadastro, porque não é um telemarketing real, é um golpe”, pontua o autônomo Emanuel Viana.

“Eu me pergunto: como conseguem uma linha 0800? O que as autoridades policiais estão fazendo para isso acabar? Nunca soube de ninguém preso por esse golpe. Enquanto isso, meu telefone não para, é insuportável”, acrescenta.

Mesmo conhecido, golpe segue em alta

Ainda assim, o golpe pode ser novidade para alguns nichos, sobretudo, idosos – o que deve justificar a insistência dos estelionatários. Para quem ainda não ouviu falar nessa modalidade, um dos formatos mais utilizados é a confirmação de movimentação bancária: a mensagem ou pessoa do outro lado da linha se apresenta como funcionária de banco ou loja e, em seguida, informa sobre alguma movimentação estranha na sua conta e te orienta a realizar uma série de procedimentos ou pede a confirmação de dados.

Foi o caso da advogada Simone Rissati, que recebeu uma tentativa de golpe há duas semanas, mas aproveitou para gravar a ligação e publicar o vídeo em suas redes sociais. Além disso, ela conta que sofreu duas novas tentativas de golpe e que possui clientes que acabaram ‘caindo’ no golpe e sofrendo prejuízos.

“Recebi a ligação de uma assistente virtual, indicando que haveria uma movimentação estranha em minha conta Nubank. Caso eu não reconhecesse a operação, deveria apertar o número 1 para falar com atendente”, conta a advogada.

Segundo ela, um rapaz chamado “Ricardo Alves” teria assumido a ligação e se apresentado como atendente da Nubank. “Disse que havia uma operação de compra junto às Lojas Americanas através de um dispositivo do Rio de Janeiro”, disse.

O golpista ainda tentou obter um depósito via Pix que ‘cancelaria’ a movimentação. A advogada recebeu via WhatsApp um link para efetivar a transferência. Ela conta que após desligar a chamada, recebeu ligações por WhatsApp e mensagens para dar prosseguimento ao suposto ‘atendimento’.

“Bloqueei todas as formas de contato! Bancos não entram em contato para cancelar movimentações por telefone! Bancos não pedem para abrir aplicativo, nem sobre dados de limites ou valores”, alerta a advogada.

No seu caso, verifica-se algumas das táticas utilizadas pelos criminosos, que envolvem apresentar informações pessoais corretas da vítima, levando-a acreditar que se trata de uma ligação autorizada. Estes dados são, por sua vez, retirados da internet ou obtidos de forma irregular.

O objetivo é sempre gerar preocupação no cliente, seja alertando sobre movimentações na conta, compras suspeitas, tentativas de invasão ou necessidade de atualizações de segurança no aplicativo. Dessa forma, geram pretexto para avançarem na conversa e extraírem informações ou dinheiro.

Como se proteger?

Dados do Indicador de Tentativas de  da  Experian apontam que, no último ano, apenas no estado de Mato Grosso do Sul foram 157.669 investidas golpistas registradas. Segundo o indicador, metade destas são tentativas de fraudes bancárias.

Em contraponto a este fenômeno, a Nubank tem realizado campanhas virtuais de . Uma delas destaca 9 dicas para não cair em golpes com o nome da instituição:

1. O Nubank não pede a senha do seu cartão em promoções (nem a senha do seu e-mail);
2. Tome cuidado com campanhas que oferecem “Pix na hora”;
3. O Nubank não faz ligações nem manda e-mail ou SMS para confirmar transações suspeitas;
4. Preste atenção aos canais de comunicação;
5. O Nubank não distribui convites para o cartão de crédito via redes sociais;
6. O Nubank não libera cartões de crédito sem análise;
7. O aumento de limite é feito apenas pelo aplicativo;
8. O cartão de crédito convencional do Nubank é gratuito;
9. O empréstimo está disponível apenas para clientes Nubank.

A Nubank orienta que usuários podem utilizar seu Canal de Denúncias, onde clientes e não clientes podem reportar tentativas de golpes, fraudes, perfis falsos e outras condutas inadequadas com produtos e serviços Nu.

Em caso de golpe consumado, onde o cidadão tenha tido prejuízos, a Nubank orienta que o cliente deve entrar em contato com o banco imediatamente. Ele deve ainda fazer um Boletim de Ocorrência, que pode ser feito on-line no site da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo