EconomiaNotícias

Conheça as culturas de cobertura que aumentam a produtividade da soja

Estudo realizado nas duas últimas safras apontou benefícios ao solo e ainda rendimento dos grãos

Para levar ao produtor rural tecnologias que visem aumentar a produtividade da lavoura e mitigar problemas causados pelos parasitas, pesquisador do setor de Manejo e Fertilidade do Solo, da Fundação MS, realizou experimento com coberturas vegetais, tanto com espécies únicas como em consórcio com outras culturas.

Os resultados do ensaio, conduzido nos anos agrícolas de 2019/20 e 2020/21, em área experimental da Fundação MS, no município de Maracaju, apresentaram aumento da massa de 100 grãos (g) em cinco, dos nove tratamentos, e em dois houve produtividade acima das 80 sc/ha. Também foi possível identificar redução das populações de Pratylenchus brachyurusRotylenchulus reniformes e Helicotylenchus dihystera e maior quantidade de potássi na camada de 0-20 cm.

O objetivo do estudo foi avaliar a produção de matéria seca, nutrientes remanescentes, teores de nutrientes no solo, espécies e populações de nematoides e suas influências na produtividade de grãos da cultura da soja pelas diferentes coberturas vegetais para cultivo no Outono-Inverno. A colheita foi realizada aos 126 dias após a emergência das plântulas (DAE).

“O conhecimento das habilidades das plantas de cobertura que crescem em ambientes menos favoráveis é de fundamental importância para obter sucesso produtivo no sistema de produção. Para isso, deve-se levar em consideração a produção de fitomassa, disponibilidade de sementes, condições do solo, rusticidade quanto à tolerância ao déficit hídrico e a geada, possibilidade de utilização comercial e o potencial dessas plantas de serem hospedeiras de pragas e doenças, além de apresentarem alta capacidade de extrair nutrientes do solo e lenta decomposição de seus resíduos vegetais. Esses pontos ressaltam a importância dos trabalhos que geram opções de coberturas vegetais nos diferentes ambientes de produção em Mato Grosso do Sul”, explicou o pesquisador responsável Eng. Agr. Dr. Douglas de Castilho Gitti.

Os ensaios foram feitos com as culturas: milho solteiro; milho com Brachiaria brizantha cv. PiatãBrachiaria brizantha cv. PiatãBrachiaria brizantha cv. Piatã com guandu; Brachiaria brizantha cv. Piatã com Crotalaria ochroleucaBrachiaria brizantha cv. Piatã com Crotalaria spectabilis; milheto com guandu; aveia branca com nabo forrageiro e trigo mourisco com guandu, distribuídos em cinco repetições, em parcelas constituídas de oito metros de largura por 30 metros de comprimento, com um metro de espaçamento entre cada tratamento. A coleta de massa verde em todas as áreas de pesquisa ocorreu em dois períodos. A primeira foi aos 74 dias após a semeadura e a segunda cinco dias antes do plantio da soja.

Os tratamentos com maior produtividade de grãos da cultura foram obtidos em sucessão ao cultivo de aveia branca e nabo forrageiro, trigo mourisco com guandu e milheto com guandu, em relação aos cultivos de milho safrinha e milho safrinha com Brachiaria brizantha cv. Piatã.

Os resultados apontam que o cultivo de espécies de Brachiaria brizantha cv. Piatã e Brachiaria brizantha cv. Piatã com Crotalaria ochroleuca podem oferecer maiores valores de massa seca. Observou-se ainda que o uso de Brachiaria brizantha cv. PiatãBrachiaria brizantha cv. Piatã com guandu; Brachiaria brizantha cv. Piatã com Crotalaria ochroleuca e Brachiaria brizantha cv. Piatã com Crotalaria spectabilis proporcionou aumento dos teores de potássio no solo.

Com relação aos nematoides, o estudo demonstra que a população de Pratylenchus brachyurus nas raízes de soja foi menor com os cultivos de milheto com guandu; aveia com nabo forrageiro e trigo mourisco com guandu.

A espécie de Rotylenchulus reniformes teve redução de população no solo com o manejo de Brachiaria brizantha cv. PiatãBrachiaria brizantha cv. Piatã com Crotalaria OchroleucaBrachiaria brizantha cv. Piatã com Crotalaria spectabilis; milheto com guandu e aveia com nabo forrageiro.

Já os nematoides Helicotylenchus dihystera tiveram menor população com a utilização das coberturas vegetais de Brachiaria brizantha cv. PiatãBrachiaria brizantha cv. Piatã com guandu; Brachiaria brizantha cv. Piatã com Crotalaria ochroleucaBrachiaria brizantha cv. Piatã com Crotalaria spectabilis; milheto com guandu; aveia com nabo forrageiro e trigo mourisco com guandu.

 

Fonte:EnfoqueMS

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar