DestaqueNotícias

Pacote de obras viárias em Mato Grosso do Sul tem investimento de R$ 954 milhões

Com previsão de conclusão até o final de 2022, cerca de 512 km de rodovias devem ser pavimentadas em MS e mais 157 km restaurados, ao todo 69 municípios receberam as obras previstas pelo governo estadual, que vai investir R$ 954 milhões nas estradas que passam pelo Estado.

O novo mapa logistíco também inclui mais de 600 km de estradas no Pantanal onde estão sendo implantados revestimento primário (cascalhamento), interligando uma região isolada secularmente.

“Nós estamos ligando regiões produtivas importantes. O Estado recuperou a capacidade de investir e se tornará uma zona de convergência dos mercados importador e exportador. É por isso que nós somos o primeiro em investimento per capita do Brasil. A economia vai bem e os investimentos são importantes porque fortalecem a estrutura de logística, tornando nossos produtos mais competitivos”, afirmou o governador Reinaldo Azambuja.

Um dos principais eixos rodoviário com pavimentação em execução abrange municípios das regiões sul e sudoeste – Guia Lopes, Jardim, Antônio João, Caracol, Bela Vista e Ponta Porã -, interligando as MS-270, MS-382 e MS-166, numa extensão de 130 km, com as BR-060 e BR-267 (Rota Bioceânica). A chegada do asfalto na MS-162 (56 km, dos quais 40% concluídos) amplia o corredor de escoamento no celeiro de produção de Dourados, Maracaju e Itaporã.

Até meados de 2022 deve ser concluído o primeiro trecho (25 km) da MS-345, entre Anastácio e Bonito, beneficiando importante rota do turismo de pesca e ecoturismo, e a ligação Camapuã-Ribas do Rio Pardo, onde está em construção uma das maiores fábrica de celulose do mundo, rodovias estas com acesso às BR-262 e BR-163. No Cone Sul, a pavimentação da MS-295 encurta a distância de Eldorado e Itaquirai ao Porto Santo Antônio, no Rio Paraná.

“A logística é fundamental para potencializarmos o Estado”, sustenta o governador. “Estamos avançando com o nosso vizinho Paraná a implantação de um novo corredor ferroviário, ligando Cascavel a Maracaju, e temos a garantia do governo federal na retomada do processo de reconstrução da Malha Oeste, que nos liga ao Pacífico pela fronteira com a Bolívia, uma rota que torna a nossa Corumbá um importante eixo de escoamento de riquezas”, pontua.

O novo mapa logístico, segundo Reinaldo Azambuja, busca garantir as condições futuras de desenvolvimento e da integração. Ele prevê que Mato Grosso do Sul será, no futuro, a principal área de influência da Rota Bioceânica, do ponto de vista da integração social e cultural, quanto da expansão econômica entre os principais centros consumidores, com sistema de transporte interligado aos portos do Atlântico (Paranaguá e Santos) e do Pacífico (Chile).

As obras de restauração de rodovias estaduais em execução somam 157 km, ao custo de R$ 122,5 milhões. Está em andamento a reimplantação asfáltica em 52 km da MS-382, entre Guia Lopes da Laguna e Bonito – principal acesso ao destino turístico a partir de Campo Grande -, e de 85 km da MS-162, no trecho Sidrolândia-Maracaju. As obras seguem também na MS-180 (Iguatemi), MS-480 (Bataiporã) e MS-156 (acesso ao Núcleo Industrial de Dourados).

 

Fonte:CGN

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar