InteressesNotícias

Juiz rejeita processo de ‘Bebê do Nirvana’ que alega exploração sexual em capa de disco

Spread the love

Um juiz federal de Los Angeles, nos Estados Unidos, rejeitou uma ação judicial movida por Spencer Elden, o homem que foi o “Bebê do Nirvana”. Elden acusava a banda de exploração sexual e pornografia infantil por usar uma foto dele nu, aos quatro meses de idade, na capa do clássico álbum “Nevermind”, de 1991.

O processo foi rejeitado na segunda-feira (3), depois que Elden perdeu o prazo para responder à moção dos réus para encerrar o caso. De acordo com a Reuters, ele tem até o dia 13 de janeiro para apresentar uma queixa emendada para tratar de supostos problemas que os réus identificaram em seu caso.

A ação

Em sua ação movida em agosto do ano passado, Elden alegou ter sofrido “danos vitalícios” pela capa do álbum, que o mostrava nadando nu em direção a uma nota de um dólar perfurada por um anzol. Quando iniciou o processo, Spencer estava com 30 anos.

Elden pediu pelo menos $ 150 mil dólares (cerca de R$ 850 mil reais) em danos de cada um dos vários réus, incluindo o Universal Music Group, o baterista do Nirvana e hoje vocalista do Foo Fighters, Dave Grohl, o baixista do Nirvana, Krist Novoselic, e Courtney Love, a viúva do vocalista principal do Nirvana, Kurt Cobain, que morreu em 1994.

Tentando a rejeição do caso de Elden, os réus disseram que a alegação de que a foto equivalia à pornografia infantil “não era séria” nas circunstâncias. Os réus também disseram que Elden não poderia alegar ser uma vítima depois de passar três décadas “lucrando com sua celebridade como o Bebê do Nirvana”.

Vale lembrar que Elden refez a foto já adulto, inclusive com “Nevermind” tatuado em seu peito.

Fonte:MM

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar