AgronegócioDestaqueNotícias

Preço da soja sobe e negócios melhoram 

Nesta terça-feira o mercado respondeu com um pouco mais de firmeza do que nos últimos 15 dias, os produtores perseguiram alguns negócios após realização de lucros, de acordo com informações que foram divulgadas pela TF Agroeconômica. “Os preços de pedra seguraram seus níveis a R$ 157,00, mas os lotes contaram com alta valorização, com o porto se destacando em R$ 2,50 acima  dos níveis anteriores e as demais regiões se valorizando em cerca de R$ 2,00”, comenta a consultoria.

Já Santa Catarina registra alta de mais R$ 1,00/saca, mas sem entusiasmar os vendedores. “Abrimos terça-feira e o mercado de Santa Catarina segue se valorizando, com as variações de preços para cima se destacando cada vez mais, no dia de hoje ocorreu nova alta de R$ 1,00/saca, para o mês de dezembro, elevando os preços de hoje para o porto de São Francisco do sul para  R$  172,00.  Para  o  ano  que  vem  os  valores  também  passaram  a  ser  interessantes,  com  os  valores  até  dia 31/01/22 chegando a R$ 174,00. Ademais, nada foi efetuado em negócios”, completa.

No Paraná os preços melhoram em R$ 1,00/saca no porto e interior sobe em R$ 3,00/saca. “Terça-feira  improdutiva  no  mercado,  mas  preços voltam  a  se  tornar  mais interessantes em especial  no interior.  O  mercado  segue  parado,  um  reflexo  das últimas  duas  semanas,  mesmo  com  os  preços  se valorizando, mas isso não representa nada em termos práticos  para  o  mercado,  até  existe  considerável movimento, mas apenas para trigo. A soja está sendo de  certa  forma  ignorada”, indica.

Mais R$ 1,00/saca e mais vendas expressivas foram vistos no Mato Grosso do Sul, que tem mercado quente. “Chegamos  à  terça-feira  e  o  mercado  segue  se aquecendo, as vendas de hoje foram ainda melhores do que as de ontem, que já estiveram bastante acima da  média.  Aparentemente, quanto  mais  se  valorizam os  negócios,  mais  o  produtor  abre  mão,  claramente isso é em partes para liberar os armazéns também”, conclui.

Fonte: Agrolink

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar