CulturaDestaqueNotícias

Cata Guavira 2021 começa hoje em Bonito

Chegou a época mais esperada do ano em Bonito, Mato Grosso do Sul. É momento de colheita da fruta símbolo do estado. Nessa época é comum vermos pessoas com baldes e sacolas nas mãos, embrenhadas no meio do mato , colherem um fruto selvagem e mais do que especial por aqui: a guavira, nossa anciã, a rainha do Cerrado. Por aqui o termo popular mais conhecido para esse gesto é “catar guavira”. Catar é portanto muito mais do que um verbo em ação, é patrimônio imaterial e cultural da nossa região.

O Cata Guavira é um evento gastronômico anual criado pela Chef Letícia Krause em 2014, na época, dentro do tradicional Festival da Guavira promovido pelo município de Bonito, Mato Grosso do Sul.

“Na edição desse ano, nosso tema é ‘Raizes’. Queremos muito valorizar os povos tradicionais, as coisas que vêm da terra, as tradições e principalmente da floresta em pé. A cura do nosso planeta, a regeneração do que foi degradado, a consciência de tudo isso”, enfoca Letícia Krause.

A guavira é uma fruta típica da região do cerrado que, assim como outros frutos nativos das bioregiões de Bonito, Serra da Bodoquena e Pantanal, vem sendo substituída por áreas de pastagem e agricultura. Por isso é tão necessário e urgente, projetos que vislumbrem a conservação não apenas dos guavirais, mas de toda a cultura em seu entorno. A criação do festival é portanto, um movimento de resistência que visa valorizar a guavira como um fruto regional que gera renda para pequenos agricultores, fortalece e preserva a cultura local.

Tendo a gastronomia como eixo central, o projeto chega em sua oitava edição e já trouxe chefs de renome para a cidade de Bonito. Através de cursos e oficinas de experimentos com ingredientes locais, abraçamos a missão de profissionalizar e fometar a culinária regional na capital do ecoturismo.

Além disso, o festival envolve toda a comunidade local numa jornada de reconexão com uma alimentação mais saudável, com ingredientes extremamente nutritivos disponíveis na região, oriundos do agroextrativismo sustentável ou de plantios agroecológicos que respeitam o solo, a biodiversidade local e os seres humanos.

Acreditamos que é possível mudar o paradigma da crescente desnutrição e fome no Brasil, promovendo uma cultura que substitui o “desembalar” pelo ”colher”, ou “catar” como dizemos por aqui.

CATA GUAVIRA 2021
Chegamos a 8°edição do Cata Guavira que acontecerá de 22 a 27 de novembro do ano de 2021. “Continuaremos nossa jornada pelo conhecimento de modelos sustentáveis de plantio e como complemento aos diálogos que serão fortalecidos pelo evento, também objetivamos estabelecer a parceria com pesquisadores das universidades de MS, isto é, montar uma rede de diálogos cuja formação se dá tanto pelas vozes dos representantes das comunidades agroextrativistas e de arte expressiva no nosso estado , como pelas vozes dos pesquisadores que fazem a produção científica sobre a região e a cultura alimentar”, afirma a coordenadora do Cata.

Tudo isso contribui para um evento com muita inovação e impulsiona o avanço da ciência, da tecnologia e fortalece as comunidades atuando nessas diferentes pontas.

PROGRAMAÇÃO EM 4 ATOS

PLANTAR_ curso de agrofloresta + plantio de mil mudas: desenvolvimento dos produtores locais (gratuito) + inscritos pagantes. As raízes do conhecimento, de quem sabe da importância da floresta em pé, das sementes ancestrais permeiam esse ato.

CULTIVAR_ produção e plantio de mudas de guavira no Viveiro Municipal com as crianças + arte, pintura interativa. Palestra sobre pesquisas com a guavira + roda de conversa entre agoextrativistas e pesquisadores. É preciso cuidar do broto para que se desenvolva e forme raízes fortes.

COLHER_ vivência da tradiconal cata da guavira + banho de rio.

Fortalecer as raízes culturais por meio de gestos tradicionais com a comunidade.

CELEBRAR_ discoxepa com pratos a preços acessíveis na feira do produtor. A comunhão em torno do alimento é a nossa celebração, uma forma de de sermos gratos pela abundância do nosso cerrado e todo o poder nutricional desses alimentos. É através das raízes que as plantas se alimentam.

PROGRAMAÇÃO DETALHADA
22 e 23 de Novembro (segunda e Terça) -Assentamento Santa Lúcia (Bonito MS)
7:00h as 17:00h – Curso de agrofloresta & Mil Pelo Planeta
Para estes dois dias, com patrocínio do Sindicato Rural da cidade de Bonito em parceria com o Senar e o projeto Mil Pelo Planeta, vamos contar com a fala do Biólogo Me. Leosmar Terena e do pajé Alípio Terena, ambos membros da Organização Caianás (Coletivo Ambientalista Indígena de Ação para a Natureza, Agroecologia e Sustentabilidade), além da presença do agrofloresteiro Juã Pereira, sítio Semente, pioneiro em agricultura sintrópica, no qual ambos irão ministrar um curso teórico prático de 2 (dois) dias na Propriedade de Elida Aivi, no Assentamento Santa Lúcia, localizado na Zona Rural de Bonito MS.

O curso será direcionado para os Associados da Feira do Produtor de Bonito e representantes das comunidades da região. Também abriremos vagas para interessados no curso.

Durante o curso teremos uma oficina de meliponicultura com a pesquisadora da Agraer Jovelina Maria de Oliveira e uma pequena introdução à produção agropecuária orgânica com o presidente da Associação Brasileira de Produtores Orgânicos (ABPO), Eduardo Cruzetta.

Sobre a alimentação programada para os dois dias de curso, o evento contará com a presença da Chef Kalymaracayá e do Chef Edu Rejala que, mediante o cardápio preparado com os produtos CATA e os insumos da agrofloresta da Élida, ficarão responsáveis por colocar em prática uma alimentação saudável e que contribua para o fortalecimento da gastronomia orgânica em função do trabalho que será exercido no dia por todos os convidados envolvidos.

24 de Novembro (quarta-feira) – Cata Guavira e Banho de Rio , no Estrela do Formoso
Para a manhã da quinta-feira, faremos um percurso por um dos guavirais mais lindos de Bonito para colhermos e nos deliciarmos com as guaviras do cerrado bonitense e, após encerrarmos, finalizaremos nosso passeio com um maravilhoso banho de rio, no Estrela do Formoso.
Guia: Sebastião Amaro Jr.

25 de Novembro (quinta-feira) – vivência no Viveiro Municipal (Bonito MS)
Para este dia convidamos as crianças do Instituto Família Legal que, durante os dois turnos, matutino e vespertino, irão participar de 3 atividades: uma oficina de mudas de guavira, oficina de compostagem e uma ação lúdica de intervenção artística.

7:00h às 11:00 e 13:00 às 17h
– Oficina de mudas de guavira e meliponicultura
– Oficina ministrada por Thyago Sabino de Moraes para aprender na prática como fazer mudas de guavira e irão germinar ali suas sementinhas.
– Convidamos a pesquisadora Jovelina de Oliveira para levar suas abelhas e a importância de preservá-las para as crianças no Viveiro também!

Intervenção Artística
As crianças serão convidados para uma intervenção artística conduzida pelos artistas visuais Ronald Rosa, Tiiago Marques e pela jovem terena Nathália Flores, sob a coordenação da especialista em cores Ana Kreutzer!

Oficina De compostagem
​As crianças participarão de uma experiência com compostagem coordenada pela equipe do Ciclo Azul – Os participantes irão aprender sobre os processos de montagem da composteira, selecionar os resíduos que podem ou não ser utilizados, assim com aprender também a realizar o manejo da composteira até a etapa final, que resulta na obtenção do composto orgânico que pode ser utilizado como adubo.

26 de Novembro (sexta-feira) – Centro de Múltiplo Uso (CMU)
17h às 18h – Propagação e o uso de preparados homeopáticos na produção de mudas de guavira:
Sexta-feira começamos com uma palestra da médica veterinária Mônica Filomena Assis de Souza, especialista e docente em Agricultura Biodinâmica, em parceria com o Prof Dr. Denilson Guilherme, coordenador do mestrado e doutorado e docente na UCDB.

18h às 19:30h – Roda de conversa: Extrativismo Sustentável
Continuamos a programação com uma roda de conversa com transmissão ao vivo que contará com a presença de três grandes nomes do extrativismo sustentável da região do Cerrado e Pantanal: Rosana Claudina da Costa Sampaio (Presidente da CEPPEC) e Libertina (Presidente da Associação das Mulheres Extrativistas e Liderança na comunidade indígena Imbirussu, em Taunay MS). Como mediadoras e palestrantes, teremos a fala da nutricionista fundadora do podcast “Panela de Impressão” Elaine de Azevedo e a presidente do Instituto de Pesquisa da Diversidade Intercultural (IPEDI), Denise Silva.

27 de Novembro (Sábado) – Feira do Produtor
– 07h às 11h – Oficina e almoço Disco Xepa
No sábado realizaremos o evento de encerramento com os nossos parceiros na Feira do Produtor de Bonito MS, expondo e comercializando seus produtos. Para este dia teremos o tradicional almoço Disco Xepa do CATA GUAVIRA, no qual o objetivo é fazer o uso dos alimentos que sobrarem da feira para a elaboração de um menu acessível. Para isso, contaremos com a presença da Beatriz Branco, líder do Slow Food Pantanal e da a Chef de Cozinha Kalymaracayá (madrinha do evento deste ano), mulher pantaneira originária dos povos Terenas, deixando assim, a tradicional feira de sábado ainda mais especial.
– 10h às 11h – Oficina de Fitoterapia com a Grazielle Grabowski em parceria com a Chef Kalymaracayá.
– 17h às 23h – Grande Feira e música ao vivo (Praça central)
Para encerrar o evento teremos uma grande feira com expositores na praça central da cidade no qual o evento Cata Guavira vai unir-se ao Festival da Guavira em noitezinha animada com música ao vivo.

Fonte: Assessoria

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar