NotíciasPolítica

Ação contra ex-prefeito apreende mala de dinheiro

Compartilhar:

Mala com dinheiro e cheques está entre os materiais apreendidos hoje (22) durante a Operação Dark Money, deflagrada pelo Dracco (Departamento de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado), da Polícia Civil, em Maracaju.

A operação investiga desvio de pelo menos R$ 23 milhões em dinheiro público através de conta bancária “fantasma”, utilizada em 2019 e 2020, os dois últimos anos da administração do ex-prefeito Maurílio Azambuja (MDB).

O médico de 73 anos de idade que já foi prefeito de Maracaju por três mandatos é uma das sete pessoas que tiveram a prisão temporária decretada, mas o Campo Grande News apurou que ele é o único que ainda não foi preso.

Equipes do Dracco e de outras delegacias da Polícia Civil estiveram na casa dele no centro de Maracaju, mas Maurílio não foi localizado. Por enquanto é considerado foragido.

Estão presos o ex-secretário de Finanças Lenilso Carvalho Antunes, a também ex-secretária Daiana Cristina Kuhn, Iasmin Cristaldo Cardoso, Pedro Everson Amaral Pinto, Fernando Martinelli Satori e Moisés Freitas Victor.

Moisés Freitas Victor (de bermuda), um dos presos hoje (Foto: Divulgação)
Moisés Freitas Victor (de bermuda), um dos presos hoje (Foto: Divulgação)

Lenilso foi preso em Umuarama (PR) por policiais paranaenses. Em Mato Grosso do Sul, além de Maracaju, as ações ocorrem em Corumbá, Ponta Porã e Campo Grande e envolvem 60 policiais civis. Além dos sete mandados de prisão, foram cumpridos 26 mandados de busca e apreensão e confisco de bens dos envolvidos.

Segundo o Dracco, pelo menos 600 lâminas de cheque de uma conta bancária de fachada, que não passava por órgãos de controle interno e externo do município, foram emitidas para pagamento destinado a empresas sem qualquer lastro jurídico para amparar os pagamentos. O valor total supera os R$ 23 milhões.

O dinheiro era desviado da conta para as empresas sem emissão de notas fiscais e sem o empenho de despesas, “operações legais que devem ser observadas pelos entes públicos”, segundo a polícia.

A delegada Ana Cláudia Medina, chefe do Dracco, comanda a operação. Ela está na delegacia da Polícia Civil em Maracaju e vai conceder entrevista coletiva ainda nesta manhã para falar da operação.

 

 

Fonte:CGN

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar