AgronegócioDestaqueNotícias

Programa Estadual de Conservação do Solo e Água de MS recebe maquinário

Com o recebimento de 14 tratores, duas pás-carregadeiras, 14 terraceadores (modelo de arrasto) e uma máquina esteira, o Governo do Estado – através da Semagro – se prepara para cumprir mais uma importante etapa do Programa de Manejo e Conservação de Água e Solo, em microbacias – da Bacia do Rio Paraná.

Na manhã desta quarta-feira (28), no Centro de Pesquisa e Capacitação da Agraer – CEPAER, o Diretor-Executivo da Agraer, Fernando Nascimento, o superintendente de Ciência e Tecnologia, Produção e Agricultura Familiar da Semagro, Rogério Beretta, e Vanusa Borges de Oliveira, Coordenadora de Agricultura da Secretaria, receberam e conheceram de perto detalhes técnicos sobre os tratores adquiridos da empresa LS Tractor. O trabalho foi comandado pela equipe da LS Tractor: o Coordenador de Marketing, Joaquim Ferreira, o Coordenador Comercial Dorival Bandeira, e Instrutor Técnico Vitor Hugo Baratieri.

Junto com a entrega técnica, a empresa realizou um treinamento com os futuros operadores e fiscais dessas máquinas, num total de 20 pessoas – entre servidores da Semagro, servidores da Agraer e dos municípios e consórcios – que irão fazer uso.

Rogério Beretta, Superintendente da Semagro

Segundo explicou Beretta, o Programa de Manejo e Conservação de Água e Solo é um dos alicerces do grande projeto estratégico do Governo que pretende transformar Mato Grosso do Sul no ‘Estado carbono neutro’, nos próximos anos. “”Somente através de um projeto de manejo e conservação de solo e agua bem estruturado é que poderemos garantir as futuras gerações a sustentabilidade da nossa produção agropecuária”. Isso é a nossa resposta quanto ao nosso compromisso com a produção sem abrir mão da nossa preservação ambiental e compromisso social.

Classificado pelo Superintendente como um projeto estruturante, o programa irá atuar a partir do conceito da microbacia como unidade de planejamento e integrando agentes públicos e privados na busca de soluções para pontos críticos. O estado oferecerá além do maquinário, apoio técnico na elaboração de projetos e na sua execução, oferecendo capacitação de técnicos nos municípios e realizando ações para conscientização dos produtores rurais, quanto a importância de realizar o trabalho de manejo e conservação de solo. “Hoje a sustentabilidade está acima de tudo. Sendo assim, nós trabalhamos para que a base do planejamento nesses municípios sejam as microbacias, com esse olhar especial na conservação. Na etapa final, queremos trabalhar ainda na restauração ambiental, nas áreas onde houver essa necessidade”.

Joaquim Ferreira, Coordenador de Marketing da LS Tractor

Joaquim Ferreira, Coordenador de Marketing da LS Tractor, destacou a satisfação da empresa em participar de um projeto de tal magnitude, tratando de uma ação de preservação do meio ambiente. “É um momento histórico para empresa, que hoje entrega máquinas com altíssima tecnologia, para um trabalho de preservação tão importante numa das principais bacias do País. Motivo de grande orgulho para todos nós”. Afirmou.

O Diretor-Executivo da Agraer, Fernando Nascimento explicou que o maquinário foi adquirido através de um acordo assinado dentro do processo de privatização da CESP (Companhia Energética de São Paulo), onde o governo do Estado garantiu R$ 50 milhões em recursos para investimentos em ações de conservação ambiental em Mato Grosso do Sul, sendo R$ 25 milhões para aplicação especificamente no desenvolvimento de programas de microbacias na bacia hidrográfica do Rio Paraná.

Fernando Nascimento, Diretor Exec. da Agraer

Com essas máquinas serão realizadas ações convergentes de conservação de solo e água, como o terraceamento da áreas e adequação de estradas rurais, atividades que ajudam a evitar o assoreamento dos cursos d´água e danos ambientais, como as enchentes.

Na primeira fase, o programa deve atender o Consórcio Intermunicipal para Desenvolvimento da Região Cone Sul de MS – CONISUL, composto por 14 municípios. Com o equipamento recebido é possível atender 7 municípios, simultaneamente.

Treinamento

Ao entregar os tratores H145 (com alta tecnologia) a empresa fez questão de oferecer um treinamento para melhor utilização e otimização dos recursos bem como prolongamento da sua vida útil.

Silvio, Jhonny e Diego

Para os operadores de máquinas da Agraer, Silvio dos Santos César e Jhonny Quintana, que embarcam maquinários para os municípios e estão em contato permanente com operadores locais é fundamental receber o treinamento e, considerando a tecnologia de ponta e inovações apresentadas, deve ajudar no rendimento do serviço, além da conservação e redução de gastos com manutenção.

O coordenador de administração e gestão de pessoas da Semagro, Diego Oliveira Lima, disse que o treinamento será repassado aos operadores nos municípios destacando a diferença que este cuidado fará na conservação do maquinário.

Sobre o Programa

Mato Grosso do Sul elegeu o desenvolvimento sustentável – que concilia o crescimento econômico e social com o mínimo impacto ambiental possível – como diretriz a orientar todas as políticas públicas.

Dentro dessa lógica, a conservação do solo e água é pilar fundamental que possibilita a expansão industrial e agropecuária sem interferência na qualidade e capacidade dos rios nem das águas subterrâneas.

Idealizado e gerido pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), tendo a Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural – AGRAER como executora, o programa e sua Câmara técnica envolvem gestores estaduais, municipais, produtores rurais e representantes da sociedade civil.

Só na região de Bonito, que teve um grave problema de descontrole ambiental no fim de 2018 e que ameaçou a transparência das águas de seus rios, atrativos turísticos famosos no mundo todo, a Câmara Técnica de Conservação do Solo e Água acompanha a implantação de 68 projetos de intervenções em 73 propriedades que englobam 93.755 hectares, todos visando reverter ou prevenir processos erosivos que poderiam causar sérios danos ambientais.

Itaipu

Há alguns dias, o Superintendente da Semagro esteve em Foz do Iguaçu (PR), onde apresentou à diretoria da Itaipu os projetos relacionados à logística e à conservação do solo e da água em Mato Grosso do Sul e que devem ampliar a atuação da empresa em território sul-mato-grossense.

Hoje, a Itaipu atua, de alguma forma, em 55 municípios do Paraná, que estão dentro da área de influência direta da Usina. Em Mato Grosso do Sul, apenas Mundo Novo, está dentro desses limites. Isso não impede, porém, que a empresa realize ações na área de contribuição, que incluiria todo o Cone Sul do Estado.

Fonte: Semagro

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar