NotíciasSaúde

Anvisa autoriza importação da Sputnik V para mais 7 estados, mas Mato Grosso do Sul fica de fora

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) concedeu autorização, por meio do Circuito Deliberativo nº 539/2021, para a importação excepcional da vacina Sputnik V para sete estados brasileiros, mas pela segunda vez Mato Grosso do Sul ficou de fora.

Na noite de terça-feira (15), receberam o aval Rio Grande do Norte, de Mato Grosso, Rondônia, do Pará, Amapá, da Paraíba e de Goiás. Já tinham ganhado o direito de importação a Bahia, Maranhão, Sergipe, Ceará, Pernambuco e Piauí.

A condição imposta pela Anvisa para o uso emergencial é que fossem importados quantitativos reduzidos das doses: 1% da população de cada um dos estados.

Outra exigência é que o imunizante seja utilizado apenas em indivíduos adultos saudáveis e que todos os lotes importados só sejam aplicadas após autorização da liberação pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS).

Conforme apurou a reportagem, as exigências impostas pela Anvisa desmotivaram a compra da vacina pelo Estado, que negocia novas condições.

Mato Grosso do Sul assinou, junto a outros estados, um acordo para a compra de 28 milhões de doses da vacina Sputnik V em abril deste ano.

O tratado foi firmado entre o Consórcio Brasil Central e o Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF). O governo do Estado tem disponível, R$ 2 milhões de recurso próprio para a aquisição de doses do imunizante russo.

Na última semana, o Consórcio já havia divulgado que a compra pelo imunizante Sputnik V havia sido adiada.

Em nota, o grupo reafirmou o interesse na compra, alegando que entende que o momento exige maior número possível de imunizantes à disposição dos governos e das populações, mas que dependia da autorização da Anvisa para o uso emergencial.

Na ocasião, o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende disse para reportagem que as prioridades são outras, e que o foco era ampliar significativamente o número de imunizados contra a Covid-19 com novas doses da Janssen.

“Esse é um assunto secundário agora. Nós não desistimos da compra, apenas adiamos. Vamos nos reunir com a Anvisa para alinharmos essa questão”.

Atualmente, Mato Grosso do Sul não tem previsão para o recebimento de novas remessas de vacinas. O último lote que o Estado recebeu foi na quinta-feira (10), com a chegada de 51,5 mil doses da vacina da Oxford/AstraZeneca.

Com isso, trinta municípios de Mato Grosso do Sul, incluindo Campo Grande, estão com a campanha de vacinação paralisada por falta de doses de vacina contra a Covid-19.

Autorização

As principais condições da Anvisa preveem que a vacina deverá ser utilizada apenas na imunização de indivíduos adultos saudáveis e que todos os lotes dos imunizantes importados somente poderão ser destinados ao uso após liberação pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS).

A distribuição ficou assim: Rio Grande do Norte – 71 mil doses; Mato Grosso – 71 mil  doses; Rondônia – 36 mil doses; Pará – 174 mil doses; Amapá – 17 mil doses; Paraíba – 81 mil doses; e Goiás – 142 mil doses.

 

Fonte:CE

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar