AgronegócioEconomiaNotícias

Semagro participa de reunião técnica no Paraná para avanço do projeto da Nova Ferroeste

O projeto da Nova Ferroeste, ferrovia que vai ligar Paraná e Mato Grosso do Sul segue avançando. Nesta semana, a Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar) está participando de uma reunião técnica do Grupo de Trabalho do Plano Estadual Ferroviário, em Curitiba. São dois dias com uma série de discussões pertinentes ao projeto.

O secretário Jaime Verruck e o assessor de Logística da Semagro, Lucio Lagemann se reuniram na manhã desta segunda-feira (08) com o governador do Paraná, Ratinho Junior para assistir a apresentação do projeto GTFerrovias. Também participaram da demonstração e explicação do TPF (Traçado Preliminar e Estudo de Demanda) e de alinhamento dos critérios ambientais com a Fipe.

(Foto: Jonathan Campos/AEN)

“Demos um passo importante para a concessão da ferrovia, que segue o cronograma de ações previsto. Este é um projeto estratégico nacional, qualificado na PPI (Programa de Parcerias de Investimentos) e de grande importância para Mato Grosso do Sul, por representar mais um modal logístico importante para escoar a produção, reduzir o custo de transporte e gerar empregos na região”, explica o secretário.

O projeto da Nova Ferroeste que prevê ligar Mato Grosso do Sul ao porto de Paranaguá tem capacidade potencial de carga estimado em 40 milhões de toneladas para exportação, sendo 18 milhões no Estado. Serão afetados positivamente 470 municípios dos três estados onde vivem 13,6 milhões de pessoas e com PIB (Produto Interno Bruto) de R$ 380 bilhões.

Em Mato Grosso do Sul a Nova Ferroeste vai passar por oito municípios, ligando Mundo Novo a

(Foto: Jonathan Campos/AEN)

Maracaju. Com início num dos principais municípios agrícolas do Estado, a Ferroeste viabiliza o escoamento de 70% da safra de grãos de Mato Grosso do Sul rumo ao Porto de Paranaguá com destino à exportação.

Titular da Semagro, o secretário Jaime Verruck destaca ainda que em março uma equipe de consultores estará no Mato Grosso do Sul para uma visita técnica nos oito municípios. “Hoje nós fechamos o traçado da ferrovia, considerando seus impactos em áreas indígenas e de conservação e os estudos de demanda de cargas para os próximos 60 anos”, explica.

Com o avanço do projeto, a previsão é que ele vá para leilão na B3 em novembro de 2021. A empresa que arrematar terá o estudo de viabilidade e licenciamento ambiental prontos, com obrigação de construir os dois ramais. A reunião técnica em Curitiba continua amanhã (09) com visita ao porto de Paranaguá.

Fonte: Priscilla Peres, comunicação Semagro

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar