NotíciasPolítica

Fábio Trad participa de sabatina com candidatos à presidência da Câmara dos Deputados

A Frente Parlamentar Ética Contra a Corrupção (FECC) convida oito candidatos à Presidência da Câmara dos Deputados para uma dada de preferência nesta quarta e quinta-feira. Segundo os integrantes da frente, trata-se de uma oportunidade para os presidenciáveis ​​apresentarem seus planos para o comando da Casa nos próximos anos dois e destacarem seus posicionamentos a respeito de pautas que consideram prioritárias.

Com cinco minutos para responder a cada uma das cinco questões, o deputado Marcel Van Hattem (Novo / RS) foi sabatinado pelo deputado Fábio Trad (PSD / MS). O parlamentar, que conheceu o relatório da PEC 199/19 (PEC da Segunda Instância) no primeiro semestre do ano passado e protocolo no sistema da Casa em outubro, indagou se Hattem, caso eleito, pretendia reinstalar a comissão especial e pautar a matéria.

“Com certeza minha primeira medida será a de reinstalar as comissões mais importantes desta casa dentre, elas a que trata da prisão em segunda instância. Aliás, a PEC 199 é um dos três projetos mais importantes no combate à corrupção atualmente em trâmite na Casa e queremos ver esse tema importantíssimo aprovado o quanto antes. Não é possível que bandidos perigosos, de crimes violentos na área de colarinho branco, de corrupção, enfim, continuem impunes após condenação em duas aplicadas na nossa justiça ”.

Trad também quis saber se o candidato pretende desemperrar a PEC que institui o fim do foro privilegiado (PEC 333/17) para votação no plenário, uma vez que a matéria encontra-se parada há dois anos na Casa mesmo após ter sido aprovada em 2017 no Senado e nas comissões da Câmara em 2018.

“Sim, imediatamente deputado. A prerrogativa de foro privilegiado foi criada para agilizar os processos de crimes contra a administração pública, por exemplo, levando-os direto a uma instância colegiada e assim tendo uma solução mais célere. No entanto, o que nós temos visto é uma política de conchavos que se muitas vezes no Poder Legislativo e entre o Executivo e o Judiciário ”, disse o deputado Van Hattem.

As três últimas perguntas da sabatina abordaram as três reformas que mobilizam o Congresso Nacional na atualidade: tributária, administrativa e política.

Para o deputado do partido Novo, a proposta de Reforma Administrativa apresentada pelo governo sofreu mudanças excessivas por parte do congresso, o que ele chamou de “desidratações”.

“Dentre essas desidratações estão, por exemplo, a retirada dos membros de poder e atuais servidores. Eu pretendo, como presidente da Casa, travar esse bom debate para reincluir tanto os membros de poder como os servidores atuais na reforma administrativa ”.

Ele acredita, no entanto, que essa reforma ainda terá de aguardar um pouco, uma vez

Hattem acredita, no entanto, que a reforma administrativa ainda terá de aguardar um pouco, uma vez que a tributária está num estágio mais avançado para ser aprovado.

“As duas estão ligadas, pois sem redução de despesas (administrativa) não há como reduzir impostos. Precisamos reduzir a carga tributária por meio de uma racionalização das despesas na área pública, modernizar uma máquina pública para garantir mais eficiência e qualidade de vida, inclusive, aos profissionais no serviço público, para que assim possa, com mais satisfação, prestar o serviço ao cidadão, pelo qual nós tão caro pagamos por meio dos nossos impostos ”.

O deputado Fábio Trad encerrou sua participação ouvindo a opinião de Van Hattem a respeito de um tema sensível aos três poderes: a Reforma Político-Partidária.

“Eu entendo que três pontos são fundamentais na reforma política: uma mudança no sistema partidário; uma mudança no sistema eleitoral; e uma mudança no sistema de governo. Entendo que Deveria haver uma quebra do monopólio partidário, uma liberdade para que as pessoas pudessem, com pouquíssimas assinaturas, não com toda a burocracia hoje envolvida, criar um partido político de nível local, se assim entendessem necessário, ou mesmo lançar candidaturas avulsas. No sistema eleitoral, entendo que o voto distrital vai reduzir despesas nas campanhas, hoje muito caras, e ampliar a proximidade do cidadão com o seu eleito, vai permitir que o cidadão cobre mais o seu representante, inclusive lembrar em quem votou. Porque hoje, lamentavelmente, mais de 70% dos cidadãos não lembram em quem votou na última eleição para deputado federal. E, por fim, uma mudança no sistema de governo que precisa ser muito bem debatida com todos os partidos políticos e todos os poderes e é para valer por uma legislatura seguinte. Não para a legislatura atual, porque as regras precisam ser claras ea segurança jurídica precisa ser garantida ”, disse Van Hattem.

Por fim, o deputado Trad destacou a objetividade do entrevistado e destacou a importância do evento para que o cidadão avalie a qualidade das respostas e seus deputados.

“Agora o cidadão precisa entrar em contato com o seu deputado federal e dizer se gostou ou não das respostas do deputado Marcel Van Hattem, afinal são os parlamentares que votam e decidem quem será o próximo presidente da Casa”.

Além de Van Hattem, foram entrevistados nesta quarta-feira os deputados Arthur Lira (Progressistas / AL), André Janones (Avante / MG) e Alexandre Frota (PSDB / RJ). A sabatina com os demais ocorre nesta quinta-feira à partir das 8h (MS) e será transmitida pela TV Câmara, site e canal do YouTube da Câmara dos Deputados.

Fonte: AsseCom

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar