NotíciasPolícia

“Era ela ou eu”, justifica assassina de Karolzinha em depoimento à Polícia

Três dias após matar Carolina Leandro Souto, 23 anos, conhecida como Karolzinha, a autora confessa do crime, Nayara Francine Nóbrega, 22 anos, se apresentou à polícia ontem (3) e disse que agiu em legítima defesa após receber ameaças da vítima.

Ao delegado Gustavo de Oliveira Bueno Vieira, da 5ª Delegacia de Polícia Civil, Nayara contou que brigou com uma amiga de Karolzinha e que a vítima “tomou as dores” da jovem. A partir daí, nasceu a rixa entre elas.

Na noite de domingo (30), Nayara e Karolzinha se encontraram em uma festa e discutiram. A vítima teria ameaçado a autora, o que foi o estopim para o assassinato. “Ela chegou a dizer: ou era ela ou eu”, comentou o delegado.

Carolina Leandro Souto, 23 anos, a "Karolzinha". (Foto: Reprodução/Facebook)
Carolina Leandro Souto, 23 anos, a “Karolzinha”. (Foto: Reprodução/Facebook)

Segundo Nayara, ela estava indo trabalhar na segunda-feira (31) de manhã, quando encontrou a Karolzinha sentada em frente a casa onde morava, no Bairro Aero Rancho. Elas tiveram um novo desentendimento e Nayara disparou contra a vítima.

Nayara fugiu e não revelou à polícia onde ficou escondida até o dia da apresentação. A autora também disse que costumava andar armada, mas até o momento o revólver não foi localizado.

Para o delegado, o depoimento de Nayara vai contra informações repassadas por testemunhas que já foram ouvidas. “Vamos investigar se realmente foi o que aconteceu ou é uma retórica para escapar do judiciário”, disse. A polícia também está investigando se o crime foi premeditado, como Nayara fugiu e se ela teve ajuda de outras pessoas.

Como já havia passado o flagrante, Nayara prestou depoimento e foi liberada. O caso segue investigado pela 5ª Delegacia de Polícia Civil.

Fonte:CGN

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar