CulturaNotícias

Até união de bandeiras do Festival do Chamamé será on-line

‘Chamamézeiros’ do Brasil, Paraguai e Argentina se reuniram ano passado em uma festa cheia na Praça do Rádio, em Campo Grande, durante o Festival Cultural do Chamamé de Mato Grosso do Sul, esse ano volta a se reencontrar, mas de um jeito diferente.

Na esteira dos eventos que neste ano foram parar na internet, por causa da pandemia causada pelo novo coronavírus, neste ano a 4ª edição do festival será realizado de 08 a 18 de outubro de forma virtual.

As gravações serão no estúdio da TVE e serão transmitidos na televisão, Youtube, Facebook e Instagram.

O Estado instituiu o Dia Estadual do Chamamé, dedicando o dia 19 de setembro para as comemorações. Além disso o estilo é Patrimônio Cultural Imaterial do Estado.

Campo Grande possui uma grande diversidade de culturas do mundo que formam sua identidade. O sistema de representações culturais, além do trinômio, polca, chamamé e guarânia, ritmos do chamamé é expressão de destaque ímpar da cultura musical sul-mato-grossense, difundidas por boiadeiros no século XX, incluindo a dança de salão, a dança do limpa banco, o hábito de tomar tereré, mate e a degustação de iguarias como a sopa paraguaia e a chipa.

Esse ano, além das apresentações on-line, instituições do Paraguai e Argentina enviarão conteúdos institucionais exclusivos para o festival, para que o público conheça locais da rota do chamamé e suas tradições históricas.

Durante onze dias, serão realizadas diversas apresentações artísticas – shows musicais, vocais, instrumentais e danças. O festival é produzido por Orivaldo Mengual, com o apoio do Gestor Cultural Ricardo Santo Pipo, Ricardo Gonzalez, do projeto cultural “Tierra Chamamé” de  Corrientes, Argentina.

 

Fonte:CGN

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar