CulturaInteressesNotícias

Documentário premiado terá estreia nacional em Bonito

Compartilhar:

O documentário “As Quatro Estações da Juventude”, dirigido pelo cineasta e diplomata Essi Rafael, natural de Aquidauana, está concorrendo ao prêmio de Melhor Filme Sul-Mato-Grossense no Bonito CineSur, que ocorrerá entre 19 e 27 de julho.

O filme, que já percorreu festivais internacionais em países como República Tcheca, EUA, Uruguai e Canadá, aborda de maneira profunda a vida de estudantes da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) ao longo de uma década.

O enredo, baseado nas experiências do diretor, ex-estudante da universidade, revela os desafios e transformações enfrentados pelos jovens durante sua formação acadêmica, desde o momento em que adentram o ensino superior, até sua inserção no mercado de trabalho.

Essi Rafael, além de dirigir, também contribuiu para a produção através de sua empresa, Casa de Cinema de Aquidauana. “Embora o filme se passe em São Carlos, ele é guiado pelo meu olhar, como um estudante de Aquidauana”, afirma o diretor, atualmente residente em Brasília.

“As Quatro Estações da Juventude” marca o primeiro longa-metragem da Casa de Cinema de Aquidauana, que já produziu curtas de destaque como “Um Conto de Solidão” (2008), “Ela Veio me Ver” (2011) e “A TV Está Ligada” (2014).

Trajetória

A entrada de Essi na carreira de diplomata durante a produção do filme foi fundamental para que o projeto pudesse ser concluído. Com dificuldades para tocar a produção devido à falta de recursos em Campo Grande, sua mudança para São Paulo, para cursar Relações Internacionais na USP, abriu portas para novos financiamentos.

Essi Rafael, diplomata e diretor do documentário “As Quatro Estações da Juventude”

“Quando chegou o momento que a gente conseguiu financiamento para fechar o filme, foi um dos maiores alívios da minha vida. Isso foi, acho que 2019, por aí. Casou com os protestos pela educação do Bolsonaro, que ajudou a evidenciar o tema da educação do nosso filme. E desde então, o projeto tem um outro patamar”, relata.

Agora concluído, o documentário iniciou sua turnê em 5 de junho no Zlin Film Festival, na República Tcheca. Seguiu para a Filadélfia, onde participou do Philadelphia Latino Arts & Film Festival (PHLAFF), e depois para o Festival Internacional de Nuevo Cine Independiente, no Uruguai. Em setembro, “As Quatro Estações da Juventude” será exibido no Vancouver Latin American Film Festival, no Canadá, onde Essi Rafael concorrerá ao prêmio de Novos Diretores.

Anteriormente, em março do ano passado, o filme foi premiado no Festival Internacional de Cinema de Cartagena (FICCI), na Colômbia, recebendo o prêmio WIP Puerto Lab para filmes em finalização.

A estreia nacional para o público está prevista para o início de 2025, integrando o projeto Núcleo de Distribuição Cinema do Interior, contemplado pela Lei Paulo Gustavo. Com coordenação de Lucas Pelegrino, o projeto visa exibir filmes em salas tradicionais e alternativas. Além de “As Quatro Estações da Juventude”, a coleção inclui:

  • “Estranhas Cotoveladas”
  • “Ivan”
  • “Teca e Tuti: Uma Noite na Biblioteca”

Bonito CineSur

O Bonito CineSur (Festival de Cinema Sul-Americano de Bonito) é um espaço de encontro e integração do cinema e do audiovisual sul-americano, onde são reunidos profissionais de toda a América do Sul e apresentados seus melhores filmes.

Polo cultural de Mato Grosso do Sul, Bonito sedia festivais literários, de jazz e de inverno. E em 2023, o Bonito CineSur, em sua primeira edição, enriqueceu ainda mais o calendário cultural da cidade, do país e do continente com a exibição de 45 filmes de 12 países da América do Sul.

O Festival, apresentado pela atriz Dira Paes, conta com a participação de 26 instituições públicas e privadas na realização do projeto, que contribuem no fomento da economia criativa local por meio da contratação de profissionais de produção, equipamentos técnicos e de inúmeros serviços de hotéis, restaurantes e transportes terrestres e aéreos.

Além de “As Quatro Estações da Juventude”, outras cinco produção concorrem pelo título de Melhor Filme Sul-Mato-Grossense:

Símbolos da juventude

Na noite de 18 de novembro de 2023, Gabriel Mongenot Santana Milhomem Santos, de 25 anos, foi vítima de latrocínio (roubo seguido de morte) na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro.

O jovem, que estava na cidade para assistir ao show da cantora norte-americana Taylor Swift, era primo de Essi Rafael, que relembra do estudante como um prodígio na família, que chegou a desistir de Medicina na UEMS para cursar Engenharia Aeroespacial na UFMG.

“A gente sempre vai lembrar dele como universitário. O Gabriel era um dos caras mais inteligentes da família… No Brasil a gente tem muito disso, né? Claro, não precisa ser um exemplo trágico, mas é super normal a pessoa querer, sonhar e deixar de fazer uma coisa por diversas razões. Desigualdade que a gente tem, dificuldade de acesso, etc. Então essa coisa do Brasil como país do futuro que nunca chega, esse tipo de coisa que eu acho que é um pouco dos pontos do filme”, afirma.

Gabriel é um símbolo da juventude brasileira. Um dos vários que Essi pôde observar ao longo da história do documentário e de sua vida, que são, em certo ponto, indissociáveis. “Eu sinto que esse filme está presente em mais da metade da minha vida. Talvez seja um negócio estranho não ter que trabalhar com esse filme daqui para frente”, diz.

 

Fonte:CE

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo