NotíciasTecnologia

De “sextorsão” a Don Juan: veja os 13 tipos de golpes com foco em idosos

Compartilhar:

Diante de casos cada vez mais comuns, a Ouvidoria-Geral da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul elaborou uma série de orientações para que pessoas idosas não caiam em golpes e fraudes financeiras. O alerta traz explicação de como funcionam e como se prevenir de 13 tipos de golpes.

A divulgação das informações faz parte da Operação Virtude e campanha de enfrentamento à violência contra as pessoas idosas, o “Junho Prata”.

Pela delegacia virtual da Polícia Civil (devir.pc.ms.gov.br) ou pelo site da Ouvidoria-Geral, (falabr.cgu.gov.br) é possível registrar denúncia identificada ou anônima, bem como relatar os dados sobre o crime cometido, características físicas e localização do suspeito.

Nudes e sextorsão 

Neste golpe, os criminosos usam perfis falsos e fotos roubadas de mulheres jovens para seduzir homens e trocar fotos íntimas com eles. Depois, eles se passam por policiais ou pais da suposta adolescente e exigem dinheiro para não denunciar ou expor a vítima. A polícia orienta a não ceder à chantagem e procurar a delegacia.

Cartão clonado 

Os criminosos ligam para a vítima dizendo que o cartão foi clonado e pedem que quebre o cartão ao meio e entregue a um motoboy para que leve a uma suposta perícia. Com o chip intacto, os bandidos usam para fazer compras e saques. A polícia alerta que os bancos nunca pedem cartões e nem enviam funcionários a casa de clientes.

Parente internado

Os golpistas ligam dizendo que o parente que está internado em hospital vai passar por cirurgia ou precisa fazer um exame urgente e pedem dinheiro via PIX. O ideal é encerrar a ligação e ligar para o hospital para saber sobre o paciente. Quadrilhas usam telefones de parentes de pessoas que realmente estão internadas, por isso a vítima cai no golpe.

Whatsapp clonado

Usando fotos e contatos de um parente próximo, os golpistas falam que a conta foi invadida e por isso estão usando outro número e em seguida pedem dinheiro emprestado para uma emergência, como pagar uma conta. O idoso não deve fazer transferência de dinheiro sem antes ligar para seu parente e ter certeza de que é ele mesmo pedindo ajuda financeira.

Links com prêmios

Mensagens informam que você ganhou prêmio em uma promoção ou sorteio. Quando a vítima clica no link os dados de redes sociais ou bancários são roubados. A polícia orienta a desconfiar desse tipo de mensagem e não acessar os links.

Inteligência artificial 

Os criminosos usam a IA (Inteligência Artificial) para criar e-mails e chamadas falsas. Eles analisam os padrões de comportamento online da vítima e criam mensagens convincentes para pedir informações pessoais. Mais uma vez, a polícia explica que não se deve passar dados por ligação.

Falso processo judicial

Os golpistas se passam por advogados, juízes ou funcionários públicos e dizem que a vítima ganhou uma ação judicial, mas precisa pagar as custas e honorários antes de receber o dinheiro da ação. A polícia orienta a não fornecer dinheiro nesses casos e, além disso, sempre verificar a reputação consultando órgãos de defesa do consumidor caso vá contratar, de fato, um advogado.

Golpe do investimento

Anúncios na Internet informam como investir com pouco dinheiro para obter lucros grandes, o que não existe na realidade. Eles informam que o retorno é garantido e não há risco de perder. Depois que a vítima transfere o dinheiro percebe que o investimento não era real. A polícia alerta para desconfiar de “ofertas milagrosas”.

Falso sequestro

Neste golpe, o criminoso liga ou manda  mensagem dizendo que o parente da vítima foi sequestrado com sons de choro e gritos ao fundo e exige dinheiro. Depois que a vítima faz o PIX descobre que nunca houve sequestro. Não entrar em pânico e ligar para o familiar é a recomendação da polícia. A delegacia deve ser procurada se, de fato, o parente estiver desaparecido.

Don Juan

O criminoso faz perfil falso nas redes sociais se apresentando como um engenheiro, militar ou algo parecido e diz que busca um novo amor. Depois de ganhar a confiança da vítima, ele pede dinheiro para emergências para resolver problemas como presente preso na alfândega, contas bloqueadas e doenças graves. A polícia orienta a bloquear esse tipo de contato imediatamente.

Cartão preso no caixa

O bandido coloca um equipamento que prende o cartão no caixa eletrônico e se oferece para ajudar. Assim, eles roubam o cartão e verificam a senha. Se o cartão ficar preso, a pessoa deve procurar somente um funcionário do banco para ajudar.

Empréstimo consignado

Golpistas fazem empréstimos com os dados das vítimas e depois ligam oferecendo renegociação e pedem mais dados ou dinheiro. As pessoas jamais devem fornecer dados pelo telefone ou a estranhos. Nunca é alguém do banco pedindo isso.

Venda falsa 

O criminoso se passa por comprador e entra em contato com alguém que anunciou um produto em um site de vendas. Ele pede mais fotos e cria um outro anúncio falso com preço mais baixo. Ele “vende” o produto para outra pessoa, mas não entrega nada. A polícia orienta as pessoas a não acreditarem em anúncios com preços muito abaixo do mercado, a verificarem a reputação do vendedor e preferir formas de pagamento mais seguras como cartão de crédito e boleto bancário.

 

 

Fonte:CGN

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo