EconomiaNotícias

Reajuste do gás natural de MS será de 6,73% a partir de 15 de novembro

O reajuste no preço do gás natural feito pela MSGás será de 6,73% a partir de 15 de novembro. Esta decisão vai absorver o aumento repassado pela Petrobras para venda dos produtos às suas distribuidoras de todo Brasil, que começou a valer desde o dia 1° de novembro.

Segundo a MSGás, já sabendo deste reajuste nos valores para as distribuidoras, a empresa publicou decreto no dia 16 de outubro, estabelecendo este aumento (6,73%), a partir do dia 15 deste mês, que vai incidir nos contratos e vendas em dezembro. Não haverá novos reajustes este ano.

Este reajuste imposto pela Petrobras desde domingo (1) pode chegar a 33% às distribuidoras se for medido pelo valor em metros cúbicos. Sobre esta decisão, a CVM (Comissão de Valores Mobiliários) ressaltou que apesar do aumento (trimestre), os preços acumulam uma redução de 13% em metros cúbicos desde dezembro de 2019.

Local – Segundo a assessoria da MSGás, apesar do reajuste de 6,78% no produto, o consumidor da empresa está pagando menos pelo item do que os valores negociados em janeiro, já que ao longo do ano foram concedidos descontos e aumentos não foram repassados aos clientes.

A empresa destaca que em janeiro deste ano houve aumento da alíquota do ICMS de 12% para 17% nas operações de gás natural, mas  esta reduziu sua tarifa, para não interferir no preço final ao cliente. Também cita que em julho houve um desconto de 4% nos valores que foram repassados a todos os seguimentos, que consomem o produto.

Clientes – Os principais clientes do gás natural do Estado estão no setor industrial, tanto que a cidade de Três Lagoas é responsável por 85% do consumo do produto da MSGás, já que é o principal núcleo (industrial) de Mato Grosso do Sul.

O produto pode ser usado em diversos setores, como nas empresas e residências, entre eles fogões, aquecedores de chuveiros, sistema de ar condicionado e captação de água da chuva, assim como nos veículos (combustível), entre outras utilidades.

 

 

Fonte:CGN

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar