DestaqueNotíciasTecnologia

Cometa “super brilhante” aparece após quase 7 mil anos e será avistado em MS

Na próxima semana, moradores de Mato Grosso do Sul devem ficar atentos para cena que já rendeu uma série de imagens incríveis pelo mundo. A previsão é de “show” do Cometa Neowise, que pode ser avistado no céu do Estado a partir de hoje e seguir até quinta-feira da semana que vem (30).

Inicialmente aparecendo em países do Hemisfério Norte, há relatos de ser visto no Brasil em 21 de julho, nas regiões Norte e Nordeste. Agora, as regiões Sudeste, Centro-Oeste e Sul também devem ter esse privilégio. Por aqui, a visualização deve ser melhor a partir da próxima terça (28).

De acordo com o coordenador do programa Exoss, Giovanni Rescigno, que monitora meteoros no céu, o cometa foi descoberto por astrônomos estadunidenses em março deste ano, em observatório da Nasa (Administração Nacional da Aeronáutica e Espaço), e desde então vem chamando a atenção pelo brilho.

“Um objeto que se destaca muito do céu, e segundo os cálculos, ele tem um período orbital [o tempo em que dá uma volta no Sol] de aproximadamente 6,8 mil anos”.

Ele explica que para vê-lo é necessário ir para um lugar afastado e alto. Em simulação feita no aplicativo Stellarium, ele verificou que o astro, de aproximadamente cinco quilômetros de diâmetro, pode estar bem visível nos dias 28 ou 29 de julho. “De lugar como prédio não vai dar para ver, estará muito baixo no horizonte”, avisa.

Ele cita a Lua como exemplo de astro no céu que facilmente é visto por nós já que se encontra a aproximadamente angulação de 90 graus. A posição do cometa, no caso, estaria muito rente ao horizonte, numa posição de aproximadamente 15 graus.

O pesquisador explica que seria necessário começar o avistamento por voltas das 17h20, mas que seria necessário um “equilíbrio” entre o sol se pôr e o cometa ficar muito baixo.

Conforme o tempo vai passando, o cometa vai ficando mais ‘rente’ ao horizonte e será difícil de vê-lo. Mas quanto mais cedo estiver, o sol vai estar mais forte e irá ofuscar o brilho do astro

Segundo o acadêmico e coordenador do Clube de Astronomia da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), Renan Aryel, o evento é raro e sua próxima aparição depende de outros fatores como mudanças em sua órbita quando próximo do sol.

“Esse cometa de agora, o C-2020 Neowise F3 está especialmente visível no céu do Hemisfério Norte. Isso se deve à posição do que a gente vê ele no céu ser bem ao norte. Ele passa perto de uma constelação chamada Ursa Maior, é uma constelação muito famosa para a cultura desses países, quase como o Cruzeiro do Sul é importante para nós daqui”.

O que torna importante o cometa Neowise em específico, diz, é que ele é considerado um dos mais brilhantes das últimas décadas. “Os estudos dizem que esse é um dos cometas mais brilhantes que aparecem no céu. Nos anos 90, teve o cometa Hale-bop, e ele foi visível aqui no céu do Brasil também. E o Neowise é um dos mais brilhantes desde o cometa Halley, na década de 80”.

O ele é tão brilhante que dá pra ser visto a olho nu em alguns locais. Os países do norte foram bastante privilegiados em relação a isso, mas agora ele já está visível no nosso céu [Brasil]

Em simulação feita por Renan, ele sugere que tem de olhar para a região noroeste de Campo Grande, na região “entre o Aeroporto Internacional e a UCDB [Universidade Católica Dom Bosco]”. As pessoas que estejam nesse canto da cidade, devem olhar para o lado oposto da cidade.

Em simulação feita para dias desta semana, por volta das 17h30, o sol já vai ter se posto e a lua no céu. “O cometa está muito baixo no céu, a gente precisa estar num lugar onde esse horizonte esteja limpo, sem nuvens, afastados do centro da cidade. A região noroeste da cidade é boa porque quando as pessoas olharem pro céu elas vai estar vendo um céu limpo e escuro. Se as pessoas tivessem do outro lado da cidade olhando o noroeste com a cidade entre elas, a poluição da cidade estaria atrapalhando”.

Confira algumas dicas para tentar avistar o Cometa:

Quando for olhar o objeto, buscar sempre as direções norte e noroeste. O cometa foi avistado inicialmente em países do hemisfério norte (na América do Norte, Europa e parte da Ásia), e agora começa a mudar a rota e poder ser visto nos países do nosso hemisfério.

Procurar uma região alta e afastada do perímetro urbano. Sem a luz artificial que a cidade produz, com um “horizonte” mais limpo de obstáculos, pode haver mais facilidade em ver o objeto. Moradores de bairros da região noroeste de Campo Grande serão mais privilegiados.

Utilizar equipamentos como binóculos ou telescópios. Mesmo que tenha sido visto a olho nu em alguns locais do mundo, aqueles que tiverem telescópio terão muito mais sorte. Binóculos também poderão ser utilizados para ver o astro.

Preparar a sua câmera. Câmeras profissionais são as mais recomendadas, já que se pode regular o ISO (deixando em números mais altos, de forma a deixar a câmera mais “sensível” para captar os detalhes do céu); o diafragma aberto para entrar mais luz, e a velocidade do obturador mais lenta para que se capture mais detalhes do céu.

Mas os pesquisadores também sugerem que câmeras de celular também podem ser utilizadas (quanto melhor configurar, melhor), além de principalmente usar um tripé. “Tentar fotografar segurando com a mão vai ser difícil ainda mais porque vai precisar esperar bastante tempo”.

Cometa Neowise visto em céu estadunidense (Foto: Reprodução/Paul M Smith)

 

Fonte:CGN

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar