CidadeNotícias

Por falta de servidores, Polícia Civil realiza mutirão em delegacia de Miranda por 60 dias

Carência de efetivo e inquéritos pendentes na delegacia de Polícia Civil de Miranda, distante 201 quilômetros de Campo Grande, determinou um mutirão de 60 dias com policiais lotados em Bodoquena, para ajudar a concluir as investigações na cidade.
 
A portaria determinando o mutirão foi publicada em Diário Oficial desta quarta-feira (8). Conforme a publicação, a Delegacia Regional de Aquidauana, encaminhou no dia 27 de dezembro, ofício ao diretor do Departamento de Polícia do Interior, apontando demanda considerável de inquéritos pendentes de solução em Miranda, principalmente após ato realizada pela Delegacia Regional de Polícia de Aquidauana, com indicativo de realização de mutirão para sanear a referida situação.
 
Pela carência de efetivo, a Polícia Civil não tem permitido a remoção de servidores de uma para outra unidade policial, alegando que as remoções geram custos mais altos aos cofres públicos, podem causar transtornos aos policiais e seus familiares, além da concessão de gozo de trânsito (dias de folga) aos eventuais policiais removidos. 
 
Com isso, segundo a portaria, a melhor solução para vencer a demanda de inquéritos pendentes em Miranda, é a realização de mutirão, deslocando temporariamente equipes de servidores de Bodoquena, duas vezes por semana, com objetivo de somar esforços e concluir os inquéritos pendentes de investigação.
 
Foi determinada uma escala para o mutirão: Delegado de Polícia Nicson Lenon Cruz Galisa de Bodoquena e a Escrivã de Polícia Raquel Gonçalves Ferreira.
 
Os servidores designados receberão diárias e o Delegado Regional deve adotar as providências para solicitação, além de produzir relatório mensal dos trabalhos realizados pelos servidores designados e fiscalizar o correto cumprimento da presente escala. 
 
A portaria é assinada pelo Delegado-Geral da Polícia Civil, Marcelo Vargas Lopes.
 
Jateí
Em outra portaria da Polícia Civil, o Delegado-Geral determina que a delegada de Fátima do Sul, Rozeli Dolor Galego também responda pelo expediente da delegacia de Jateí, por não ter nenhum profissional lotado na unidade policial.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar