No mesmo mês, cliente vê conta de luz 500% maior
2019-02-09 10:05:57
Após o aumento expressivo nas contas de energia elétrica da maioria dos sul-mato-grossenses, no mês de janeiro, situação no mínimo inusitada foi identificada por um consumidor, em Campo Grande. O cliente teve consumo e valores de duas contas de luz alterados pela Energisa de um mês para o outro, de modo que, em um dos casos, a dívida, antes registrada em R$ 108,92, saltou para R$ 620,85, sem explicação plausível. Para o consumidor, houve erro ou fraude por parte da concessionária. A empresa nega.

Com os demonstrativos em mãos, o consumidor contou ao Correio do Estado que, no dia 11 de janeiro deste ano, imprimiu o histórico de contas de uma chácara da qual é proprietário e obteve como resultado de leitura feita no dia 7 de janeiro deste ano o consumo de 100 kilowatts (kW), com valor da conta de R$ 108,92.

Como não havia pago a conta, o consumidor fez uma nova consulta nesta sexta-feira e, para surpresa dele, o consumo e o valor referentes à leitura haviam sido alterados. De 100 kW, o consumo passou para 903 kW, enquanto o valor da conta aumentou R$ 514,93, totalizando R$ 620,85. 

Preocupado com a situação, o consumidor verificou outras faturas e encontrou o mesmo erro na conta da casa onde mora, referente ao mês de dezembro, em que, numa fatura, o valor da conta é de R$ 223,52 e, em outra, é de R$ 284,37. “Há um desequilíbrio muito grande, não sei se por malfeito ou desonestidade, de qualquer forma é inaceitável”, disse ao Correio do Estado.

Procurada pela reportagem, a Energisa  informou que, para verificar o caso citado, precisaria da unidade consumidora do cliente ou do endereço completo, pois as solicitações são avaliadas caso a caso, considerando uma análise do histórico de consumo.

A empresa não soube explicar como ocorreu a alteração na conta do cliente nem por quais motivos, mas afirmou que, “quando se fala em consumo mais alto, todos os valores sobem na mesma proporção na conta de luz, e o que difere são os tributos, os encargos, os impostos, como ICMS e PIS/Cofins, por exemplo, que compõem o valor do kW/h cobrado na conta”.

O superintendente para Orientação e Defesa do Consumidor (Procon), Marcelo Salomão, afirmou que vai apurar o caso. “Assim que o cliente nos procurar, abriremos uma reclamação para apurar o que houve, imediatamente”.

RECLAMAÇÕES

O preço da conta de luz tem sido alvo de debates desde o início de janeiro, quando chegaram as contas relacionadas ao consumo de dezembro de 2018. A partir de então, foram realizadas reuniões entre Procon e Energisa para chegar a um acordo. De um lado, consumidores reclamam de contas que dobraram de valor. Do outro, a concessionária justifica o aumento do consumo de energia, colocando a culpa nas altas temperaturas registradas desde o fim do ano passado. 

Vereadores, deputados e até o governo do Estado pediram explicações para a empresa, que se defendeu afirmando que o aumento do consumo e no valor das contas de energia é comum no verão. O resultado é que, até agora, nenhuma medida foi adotada para, de fato, atender o cliente e resolver as reclamações. 

Na tentativa de se chegar a um acordo, a Energisa ofereceu a possibilidade de parcelamento das faturas com valor mais alto. Além disso, o Procon garantiu que nenhum corte seja feito até que o aumento seja esclarecido por completo.
Fonte: CE
Comentrios.
Deixe um comentrio.