Homem comete suicídio em Guia Lopes da Laguna
2019-02-09 09:20:15
Na quinta-feira (07), aproximadamente, às 03h15, o mototaxista Fábio de Carvalho, de 32 anos, cometeu suicídio em Guia Lopes da Laguna.

A Polícia Militar de Guia Lopes foi acionada e esteve na residência onde Fábio cometeu o ato, na rua Plinio Bertola, ele tinha os sinais vitais e os Policiais acionaram o Corpo de Bombeiros que o encaminharam ao Hospital Edelmira Nunes de Oliveira, onde veio a falecer minutos depois.

Conforme informações contidas no boletim de ocorrência, Fábio cometeu o ato com um tiro acima do ouvido direito, com um revólver que estava municiado com três munições, sendo que uma delas estava deflagrada.

Até pouco tempo a Redação da reportagem adotava a conduta de não repercutir casos de suicídio por parecer que quanto mais fala, mais encoraja pessoas que estão pensando em cometer o ato. Mesmo ainda sendo indigesto para nós, pesquisadores afirmam que o problema começará a ser resolvido com o rompimento do silêncio. “Temos de quebrar esse ‘Tabu do Suicídio’, temos que desconstruir essa história de que não se pode falar do assunto. Uma dor compartilhada dói menos”, pontuou o professor Edilson dos Reis, coordenador do curso de prevenção ao suicídio na UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso Sul).

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), suicídio é a segunda maior causa das mortes entre os 10 e 19 anos. Em épocas festivas, principalmente próximo ao Natal e Ano Novo, os casos se intensificam. Em 2017, por exemplo, o Corpo de Bombeiros de Campo Grande atendeu 925 tentativas de suicídio.

Ainda conforme o OMS, o Brasil se encaixa no 8º lugar no ranking, mas ainda assim cerca de 100 mil leitos psiquiátricos estão fechados. Em Campo Grande, o setor de psiquiatria da Santa Casa, que era um grande local de acolhimento de pessoas que precisam de acompanhamento médico e de internação, não existe mais. Para Reis, a Capital precisa criar espaços de “circulação de palavras”.

Enquanto o espaço não é criado, as vítimas de depressão e demais sofrimentos psicológicos podem buscar ajuda em escolas-clínicas de psicologia, Caps e pelos telefones 141 e 188 CVV (Centro de Valorização da Vida), 190 da PM e 193 dos Bombeiros, que ajudam pacientes a romper o silêncio.

A equipe de reportagem externa sentimentos de apoio e condolências à familiares e amigos de Fábio.
Fonte: Ifato
Comentrios.
Deixe um comentrio.