Identificar as necessidades especiais da criança é fundamental
2019-02-07 09:51:26

Todas as crianças são especiais e cada uma é única na sua maneira de ser, porém algumas crianças requerem cuidados adequados às suas diferenças, pois nasceram com alguma complicação quanto à sua saúde, ou algum comprometimento em relação as suas funções cerebrais, sendo assim, exigem cuidados e acompanhamento considerados específicos. A criança que é portadora de algum tipo de deficiência tem de ser tratada da forma mais normal possível, igual aos outros alunos da escola no tratamento cotidiano, nas responsabilidades com suas tarefas e nas consequências de seus atos, levando em conta sim suas limitações, mas não tendo uma relação de concessões.

Hoje a inclusão tende a colocar nas salas de aulas crianças com diversos tipos de necessidades especiais, o que preocupa os profissionais por não terem conhecimento sobre como agir, quais os limites desta criança, o que elas são capazes de aprender, de que maneira podem ensinar e o que ensinar.  No começo do ano letivo os pais precisam saber que é possível pedir a escola que seja realizada uma avaliação das necessidades especiais da criança matriculada. A avaliação inicial para delinear o perfil de aprendizagem do aluno e a avaliação durante o processo de ensino-aprendizagem.

A avaliação inicial é realizada no início do ano letivo pela professora, contando com a cooperação da família e dos outros profissionais envolvidos no atendimento à criança. Ao professor cabe identificar as Necessidades Educacionais Especiais (NEEs) de seu aluno com a participação dos pais, trazendo dados da realidade vivenciada pela criança em casa. Pais que participam do processo compreendem melhor as necessidades do filho.

O parecer dos profissionais que fazem o suporte educacional ou terapêutico da criança também deve fazer parte da avaliação inicial, objetivando uma minuciosa avaliação das habilidades e dificuldades do aluno com NEEs.

A definição da NEEs possibilita conceber um projeto educativo de uma maneira aberta e flexível, como um instrumento para promover o desenvolvimento do aluno, e deve ser adaptado a suas características educacionais, sociais, culturais, e também quanto ao interesse, ritmo de aprendizagem e experiências anteriores.

A definição das competências do aluno deverá ser mais importante que a definição de suas limitações, considerando que o aluno com NEEs pode alcançar os objetivos comuns do grupo, mas pode requerer um período maior de tempo para isso, é importante dar mais valor as competências que as dificuldades, as conquistas que aos prejuízos, tendo como parâmetro seus próprios ganhos em relação a si mesmo.

O processo de ensino aprendizagem ideal, é o que acompanha o percurso individual de cada estudante, e a meta é aplicar conteúdos acadêmicos e outros meios que possam ser úteis para se chegar a realizar tarefas e alcançar os resultados pretendidos pelo aluno.

As necessidades e limitações precisam ser reconhecidas, mas não devem restringir o processo de ensino do aluno, levando sempre em conta as peculiaridades de cada criança. É necessário que se espere o máximo de aprendizado dos conteúdos curriculares ministrados, mas com respeito as limitações naturais de cada aluno. Isso é inclusão, ver a criança deficiente não à partir de suas limitações e sim à partir de suas potencialidades.

Fonte: Denise Caramori de Souza/ Psicopedagoga e Terapeuta para O Progresso
Comentrios.
Deixe um comentrio.