Força-tarefa encontra “gato” de energia até em emissora de rádio
2018-11-09 10:46:10
A Energisa, concessionária responsável pelo serviço de energia elétrica em Mato Grosso do Sul, realiza, nesta sexta-feira (9) operação contra os “gatos”, ligações clandestinas de energia. A operação ocorrem em parceria com a 3ª DP (Delegacia de Polícia) no bairro Carandá Bosque. Até o momento, quatro locais foram fiscalizados, entre eles a rádio impacto MS.

As equipes avaliam três formas diferentes de fraudar o sistema de energia. Uma delas é através de um “jumper” no sistema, no qual a energia não circula no medidor e sim em uma “ponte”. Outra forma acontece ao quebrar o medidor e puxar os fios para fazer o gato. Além dessas duas formas, consumidores também invertem os dispositivos de entrada e saída do medidor.

Na Rua Joselito, a fiscalização encontrou um medidor danificado na residência, mesmo caso de um escritório de advocacia na Rua Felix Jamil Naglis e da rádio na Rua Chafica Fatuche Abussafi. Em outra residência na Rua Fortuna, a fraude ocorreu pela inversão dos dispositivos de entrada e saída.

Segundo o gerente de combate a perdas da Energisa, Ercílio Diniz Flores, os equipamentos são retirados para análise técnica e depois enviados para o Inmetro.“Não temos distinção de bairro A ou B, somos auxiliados por um sistema inteligente, que custou mais de R$ 15 milhões e detecta variação de consumo”.

Segundo o gerente, além do sistema, a operação é motivada por denúncias da população. Ercílio também explica que não é possível que equipamento seja danificado sem a interferência de uma pessoa, porque a caixa de medicação é lacrada e protegida.

O gerente afirma que, além do crime da ligação irregular, os gatos representam uma concorrência desleal com o resto dos consumidores. Os proprietários, quando flagrados, assinam um TOI (Termo de Ocorrência de Irregularidade). Eles também são levados para a delegacia, onde o crime de furto de energia é registrado.

A empresa também faz um cálculo da variação da energia, ao comparar o valor anterior com o total diminuído após a ligação irregular. Feito o cálculo, o consumidor é obrigado a pagar a diferença durante o tempo que utilizou a energia de forma irregular.

Fiscalização – As equipes fiscalizam, por ano, cerca de 120 mil unidades consumidoras no Estado. Desse total, 24 mil apresentam irregularidades. “Todas as 24 mil representam um mês de consumo da cidade de Corumbá”, comentou Ercílio. Com a fiscalização, segundo o gerente, o impacto das ligações caiu de 7,5% para 4,65%.

Delegada da 3ª DP, Déborah Mazzola afirma que os proprietários presos em flagrante podem ser liberados após pagarem uma fiança. Aqueles que não são encontrados, no entanto, são investigados para que sejam ouvidos. Nessa manhã, a delegada registra as ocorrências de irregularidades identificadas, e a operação continua durante a tarde.

A reportagem tentou falar com o proprietário da Rádio Impacto MS, mas ele não foi localizado.
Fonte: CGN
Comentrios.
Deixe um comentrio.