IBGE prevê safra de grãos 0,2% menor em 2019
2018-11-08 13:36:49
No primeiro prognóstico do IBGE para a safra 2019, a produção de cereais, leguminosas e oleaginosas para 2019 foi estimada em 226,7 milhões de toneladas, 0,2% inferior à safra de 2018.

Ainda assim, a previsão é a terceira maior da série histórica do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, iniciada em 1975, ficando atrás apenas de 2017 (240,6 milhões) e 2016 (227,2 milhões). Para o ano que vem, há previsão de 1,1% de aumento na área plantada.

A redução, segundo o IBGE, se deve às menores produções previstas para as regiões: Norte (-0,3%), Nordeste (-8,8%), Sudeste (-1,9%) Centro-Oeste (-1,4%). O Sul (4,1%) é a única região onde é esperado crescimento.

Considerando-se os cinco produtos de maior importância para a próxima safra, três devem apresentar variações negativas na produção: algodão herbáceo em caroço (-2,8%), arroz em casca (-4,2%) e soja em grão (-1,0%). Com variação positiva, apenas o feijão em grão (0,3%) e o milho em grão (2,6%).

Em termos absolutos, estimam-se menores produções para a soja (1,2 milhão de toneladas), para o trigo (727,1 mil toneladas) e para o arroz (489,1 mil toneladas). Para o milho, estima-se um crescimento de 2,2 milhões de toneladas na produção.

Safra de 2018
Já a 10ª estimativa para a safra de 2018 totalizou 227,2 milhões de toneladas, 5,6% inferior à obtida em 2017 (240,6 milhões de toneladas). A área a ser colhida (60,8 milhões de hectares) é 0,6% inferior à obtida em 2017.

O arroz, o milho e a soja são os três principais produtos que, somados, representam 93% da estimativa da produção e respondem por 87,3% da área a ser colhida.

Em relação a 2017, houve acréscimo de 2,8% na área da soja e reduções de 8,7% na área do milho e de 7,5% na área de arroz. Quanto à produção, ocorreram decréscimos de 17,9% para o milho, de 5,6% para o arroz e acréscimo de 2,4% para a soja.

Regionalmente, a produção de cereais, leguminosas e oleaginosas tem a seguinte distribuição, em toneladas:

Centro-Oeste (101,3 milhões)
Sul (75,1 milhões)
Sudeste (22,8 milhões)
Nordeste (19,2 milhões)
Norte (8,7 milhões)
Em relação à safra passada, foi constatado aumento apenas na região Nordeste (7,6%), e queda nas demais: Sul (-10,5%), Sudeste (-4,5%), Centro-Oeste (-4,4%), Norte (-2,3%).

O Mato Grosso liderou como maior produtor nacional, com uma participação de 26,8%, seguido pelo Paraná (15,5%) e Rio Grande do Sul (14,8%).
Fonte: G1
Comentrios.
Deixe um comentrio.