Operação pré-piracema quer prevenir pesca predatória até novembro
2018-10-01 08:23:29
A PMA (Polícia Militar Ambiental) inicia, nesta segunda-feira (1), a operação pré-piracema que combate a pesca predatória e os crimes ambientais. As ações de fiscalização já realizadas serão intensificadas até o dia 5 de novembro, quando começa o período de fechamento da pesca na Bacia do rio Paraguai.

A operação envolve 362 policiais, e também contempla as operações “Padroeira do Brasil e a operação “Dia de Finados”, com participação de 25 Subunidades da PMA no Estado. Conforme a PMA, os trabalhos administrativos serão reduzidos durante a operação para liberar mais policiais. A PMA enfatiza que as ações preventivas e repressivas ao tráfico de papagaio continuam neste período.

Entre os crimes ambientais que serão observados, há o transporte de produtos perigosos, desmatamento, exploração ilegal de madeira, incêndios, às carvoarias ilegais e ao transporte de carvão e de outros produtos florestais, caça, e crimes contra a flora.

Pescadores - Algumas regras devem ser observadas pelos pescadores nesse período, como o uso de materiais proibidos: cercado, pari ou qualquer aparelho fixo; do tipo elétrico, sonoro ou luminoso; fisga, gancho ou garatéia, pelo processo de lambada; arpão, flecha, covo, espinhel ou tarrafão.

A cota para captura é de 10 quilos mais um exemplar de qualquer peso, desde que não seja do tamanho inferior permitido e 5 exemplares de piranha. Para transporte, é necessária a vistoria e lacre nos postos da PMA.

Os rios proibidos para a pesca de qualquer natureza são o Rio Salobra, em Miranda e Bodoquena, córrego Azul, em Bodoquena, Rio da Prata em Bonito e Jardim e o Rio Nioaque , em Nioaque e Anastácio.
Fonte: CGN
Comentrios.
Deixe um comentrio.