Casos de tuberculose resistente à medicação aumentam, diz relatório da OMS
2018-09-29 11:18:51
O número de casos de tuberculose resistente à medicação aumentou no último ano, informou a Organização Mundial de Saúde em seu relatório anual. A organização diz que os casos do tipo "continuam sendo uma crise de saúde pública".

A estimativa é de que, em todo o mundo em 2017, 558 mil pessoas desenvolveram tuberculose que era resistente à rifampicina (RR-TB), o remédio mais comumente usado para o tratamento da doença, e destes, 82% tinham tuberculose multirresistente (MDR-TB) a medicamentos.

Três países representaram quase metade dos os casos mundiais de tuberculose resistente a ambos os tratamentos: Índia (24%), China (13%) e a Rússia (10%). Globalmente, 3,5% dos novos casos de tuberculose e 18% dos casos tratados eram de indíviduos resistentes a algum dos tratamentos.

Globalmente, 160. 684 casos de casos de tuberculose resistente aos dois tipos de medicamento (RR-TB e MDR-TB) foram detectados e notificados em 2017 (um pequeno aumento quando comparado aos 153.119 casos notificados em 2016).

De acordo com o relatório o sucesso do tratamento, que pode chegar a mais de cinco anos para pacientes resistentes aos medicamentos, continua baixo, com uma taxa de sucesso mundial de 55%.

Exemplos de países altamente afetados pela doença que obtiveram melhores taxas de sucesso de tratamento em 2017 incluem Bangladesh, Etiópia, Cazaquistão, Mianmar e Vietnã (todos com taxas superiores a 70%).

Mortes no mundo passam de 1 milhão
Ainda de acordo com o relatório, estima-se que cerca de 1,7 bilhão de pessoas, 23% da população mundial, tenham uma infecção latente por tuberculose e correm o risco de desenvolver doença durante o tempo de vida.

No geral, as mortes por tuberculose diminuíram ao longo do ano passado. Em 2017, a tuberculose causou cerca de 1,6 milhões de mortes, sendo 300 mil entre pessoas HIV-positivas. Desde 2000, houve uma redução de 44% nas mortes por tuberculose entre as pessoas com HIV em comparação com uma diminuição de 29% entre as pessoas HIV-negativas.

Globalmente, a melhor estimativa é que 10 milhões de pessoas desenvolveram a doença em 2017:

5,8 milhões de homens
3,2 milhões de mulheres
1 milhão de crianças
Houve casos em todos os países e grupos etários, mas, em geral, 90% eram adultos (acima dos 15 anos), 9% eram pessoas vivendo com HIV (72% na África) e 66% em apenas oito países: Índia (27%), China (9%), Indonésia (8%), as Filipinas (6%), o Paquistão (5%), a Nigéria (4%), Bangladesh (4%) e África do Sul (3%).

Casos no Brasil
Em 2017, o Brasil registrou 86.858 casos de tuberculose. Dos casos notificados, 79.222 eram novos ou recorrentes. O país está entre os 20 países que mais sofrem com a doença.

Foram 5,1 mil mortes por causa da doença no mesmo ano.
Fonte: Bem Estar
Comentrios.
Deixe um comentrio.