Barril do petróleo passa de US$ 81 e fecha no maior valor em 4 anos
2018-09-25 07:18:33

O preço do petróleo Brent alcançou nesta segunda-feira, dia 24 de setembro, seu nível mais alto em quatro anos, após a decisão da Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) e de seus sócios de não aumentar a produção apesar das pressões do presidente dos Estados Unidos Donald Trump.

A cotação do Brent do Mar do Norte subiu US$ 2,40, ou 3,1%, a US$ 81,20 o barril, depois de chegar na máxima a US$ 81,39.

O petróleo dos EUA (WTI) teve alta de US$ 1,30, ou 1,8%, a US$ 72,08 o barril.

"Esta é a resposta do mercado de petróleo à recusa da Opep e aliados de aumentar sua produção de petróleo", disse Carsten Fritsch, analista de commodities do Commerzbank.

Na véspera, a Arábia Saudita, líder da Opep, e a Rússia descartaram a possibilidade de aumento na produção de petróleo bruto.

Apesar da elevação, o preço do barril do Brent ainda está longe de sua máxima histórica. Em julho de 2008, o barril chegou a ser negociado a US$ 145,61.

O barril do petróleo Brent chegou a US$ 80 neste mês, levando Trump a reiterar na quinta-feira (20) seu pedido para que a Opep baixasse os preços. A alta das cotações foi contida principalmente por uma queda nas exportações do Irã, membro da Opep, devido ao restabelecimento de sanções dos EUA.

"Nós protegemos os países do Oriente Médio, eles não estariam seguros por muito tempo sem nós e, ainda assim, eles continuam incentivando preços cada vez mais altos para o petróleo. Nós lembraremos disso. O monopólio da Opep deve baixar os preços agora!", escreveu Trump em sua conta no Twitter.

O ministro da Energia saudita, Khalid al-Falih disse que a Arábia Saudita tinha capacidade para aumentar a produção de petróleo, mas que a medida não seria necessária no momento. "A minha informação é que os mercados estão sendo adequadamente abastecidos. Não sei de nenhuma refinaria no mundo que esteja precisando de petróleo e não esteja conseguindo", afirmou.

A alta do petróleo também tem sido sustentada pela perspectiva de menores exportações do Irã, terceiro maior produtor da Opep, devido a sanções dos EUA.

Mercado cogita petróleo a US$ 100 em 2019

Segundo tradings de commodities, os preços do petróleo podem subir para 100 dólares o barril ao final do ano ou no início de 2019 com o impacto de sanções ao Irã.

Quase 2 milhões de barris por dia (bpd) em petróleo poderiam ser retirados do mercado como resultado das sanções dos EUA contra o Irã ao final do quarto trimestre deste ano, disse o presidente da trading de commodities Mercuria Energy Trading, Daniel Jaeggi, o que tornaria uma alta dos preços para 100 dólares o barril possível.

Washington já implementou sanções financeiras contra o Irã e pretende mirar as exportações de petróleo do país a partir de 4 de novembro, colocando pressão sobre outros países para que também cortem importações de petróleo iraniano.

Segundo Ben Lockok, co-chefe da trading de petróleo Trafigura, os preços do petróleo poderiam subir para US$ 90 dólares no Natal e para US$ 100 no Ano Novo conforme os mercados se apertarem.

Com as iminentes sanções dos EUA ao Irã, o terceiro maior produtor da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), o banco de investimento norte-americano JPMorgan disse em seu último boletim de perspectivas para o mercado que "um salto para os 90 dólares por barril é provável" para os preços nos próximos meses.

Fonte: DN
Comentrios.
Deixe um comentrio.