Feira ‘mostra’ Rio Formoso cheio de lixo para destacar cuidados com meio ambiente
2018-06-07 08:30:49

“Imaginem que vocês vão mergulhar bem lá no fundo do Rio Formoso, e imaginem todo aquele lixo que a gente, ‘sem querer’, joga no chão, a embalagem do picolé que a gente chupou la no Balneário Municipal e não deu tempo para ir até a lixeira e acabou deixando cair em qualquer lugar, o copinho descartável, a latinha do refrigerante. Imaginem que veio uma chuva e tudo isso foi para o fundo do rio. Também imaginem os peixes, a sucuri, todas as espécies que vivem ali. Será que essa mistura dá certo?”, questiona uma sentinela do IASB (Instituto das Águas da Serra da Bodoquena) a um grupo de crianças que espera ansiosamente para entrar na sala escura que simula o fundo do Rio Formoso, durante a 8º edição da Feira Socioambiental de Bonito.

Antes mesmo de entrar, muitos já começam a repetir os cuidados com o meio ambiente, que aprendem na escola, ações ou em casa. Em sua maioria, eles repetem que lugar de lixo é no lixo e que os rios devem ser preservados. Porém, os rostinhos curiosos são substituídos por uma mistura de adrenalina e tristeza após a experiência. “Eu vi muito lixo, latinhas, plástico e também uma sucuri enorme e peixes bonito. Foi legal ver eles assim, mas o rio estava poluído e isso não pode. A gente vai lá quase todo dia e é muito triste ver o rio desse jeito”, afirma Ana Clara, de apenas 8 anos, ainda confusa com o que viu.

 Segundo Liliane Lacerda, diretora executiva do IASB, o objetivo da feira é justamente despertar as crianças para importância de cuidar das águas da região. “São nove salas temáticas, que destacam cuidados com o solo e com os rios. Tem uma oficina rápida de compostagem, uma sala sobre os córregos urbanos, com lixos que foram retirados deles, tem um espaço que fala sobre a dengue e outro sobre os tipos de solo, onde as crianças podem fazer estruturas em argila. Tem a do Rio Formoso, onde eles precisam ajudar a recolher o lixo e atividades que abordam a temática da Feira”, detalha.

Ela também destaca que em 2017 o evento não pode ser realizado devido ao corte de recursos federais e que neste ano foi montada de uma forma mais enxuta, em um espaço menor e com apoio do Conselho de Segurança da cidade. “Por quatro anos a Feira foi realizada no Centro de Convenções e contava com a participação de outras entidades do município, mas neste ano, para conseguir realizá-la, precisamos diminuir a estrutura. O lado positivo é que ficou mais focada no trabalho da IASB e os professores comentaram que o aproveitamento dos alunos está sendo melhor, principalmente para o ensino fundamental, que estuda isso nas escolas e pode ter uma experiencia prática aqui”, afirma.

Entre os três dias do evento, de 4 a 6 de junho, a Feira Socioambiental de Bonito recebeu pouco mais de 1500 visitantes, sendo a maioria alunos das escolas do município.


Fonte: PE
Comentrios.
Deixe um comentrio.