MDB aposta em 'perfil' de Takimoto por vaga no Congresso
2018-05-15 08:36:16
Coloque o subtitulo ...

A lista de pré-candidaturas do MDB de Mato Grosso do Sul está sendo definida com base no currículo e no perfil dos seus integrantes. O partido também leva em conta os apelos de regiões que querem potencializar sua representação política local e nacional.

Na pré-campanha, já se destacam alguns nomes que disputarão a Câmara Federal, caso do deputado estadual George Takimoto, cujo perfil, de acordo com a direção partidária, contém as exigências consideradas fundamentais nas pesquisas de opinião publica: ficha limpa, o foco no interesse publico, a responsabilidade e a busca efetiva de resultados em políticas de inclusão social e econômica, sustentabilidade e eficiência gerencial.

Clínico-geral, cirurgião e geriatra, reconhecido como um dos principais médicos de família que atuam no Estado, Takimoto tem uma extensa foha de serviços prestados aos sul-mato-grossenses na profissão e na política.

Na Medicina, dá ênfase à prevenção e pratica a saúde publica com olhar e atenções básicas às famílias em situação de fragilidade. Há mais de 50 anos, desde que chegou em Dourados, mantém uma rotina de atendimento a pacientes de vários municípios, por entender que a Medicina é acima de tudo um exercício humanitário.

Currículo

Na política, começou como vice-prefeito de Dourados, em 1983. Em 1986, a Grande Dourados o convocou para representá-la em um mandato estadual, o de vice-governador. Mais um mandato de destaque, sendo por isso escolhido para concorrer a uma vaga de deputado federal. Venceu e, de 1991 a 1995, realizou em Brasília um mandato dos mais produtivos, com emendas, projetos e ações que atenderam todas as microrregiões do Estado, com ênfase na Grande Dourados.

Como deputado federal, Takimoto reafirmou seu empenho pela construção do Hospital Regional de Dourados, bandeira levantada na região quando começou a clinicar e hoje ganha suas formas concretas com os ivestimentos nos governos de Puccinelli e Azambuja.

Suas intervenções na Câmara também resultaram em conquistas como o recapeamento da BR-163 e outras rodovias; a construção dos Centros de Educação Integrada do Jardim Terra Roxa e do Santa Efigênia; Universidade Estadual (Uems); canalização do Córrego Rego D’Água; Escola Agrícola Padre André Capelli; compra de ônibus escolares e reforma de várias escolas; idealizou a Perimetral Norte de Dourados e viabilizou recursos para construção do Hospital e Maternidade de Vila Vargas, Santa Casa (atual Hospital Universitário de Dourados).

Foi também fundador da Patrulha Mirim, garantiu verbas para o sistema de esgoto e construção do Conjunto Habiutacional Izidro Pedroso, doou o terreno e ajudou na construção da Escola de Língua Japonesa, obteve junto à Japan International Cooperation Agency (Jica) os recursos para a construção da Casa do Estudante Nissei, no Jardim Florida II. Takimoto contribui ainda com a edificação da sede do Coral Santa Cecília, atual Guaraobi, na Vila Planalto, e presidiu a Comissão Pró Criação e Implantação da Universidade Latino Americana, que se tornou o ponto de partida da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul.

Em Brasília, de 1991 a 1995 as emendas parlamentares de George Takimoto garantiram recursos federais para investimentos na Grande Dourados, Vale do Ivinhema, Cone Sul e outras microrregiões. Entre os municípios contemplados estão Dourados, Campo Grande, Anaurilândia, Brasilândia, Caarapó, Costa Rica, Selvíria, Sete Quedas, Água Clara, Bataguassu, Porto Murtinho, Caarapó, Coxim, Fátima do Sul, Maracaju, Miranda, São Gabriel do Oeste, Ribas do Rio Pardo, Itaporã, Nova Alvorada do Sul, Três Lagoas, Aquidauana, Aral Moreira, Nova Andradina, Vicentina, Rio Brilhante, Tacuru, Glória de Dourados e Deodápolis.

Na Assembleia

Com emendas estaduais, Takimoto também atendeu dezenas de cidades e instituições ao longo dos dois mandatos de deputado estadual. Para ter uma idéia, em 2015 ele tinha direito de propor investimentos de R$ 1 milhão em emendas. E destinou a maior parte (R$ 620 mil) para a área de saúde, ficando R$ 220 mil para educação e R$ 160 mil para assistência. Já em 2016, a cota de R$ 1,5 milhão foi distribuída para mais de 20 municípios.

Com atuação principalmente na saúde, educação, meio ambiente e apoio ao setor produtivo, George Takimoto fecha seu segundo mandato de deputado estadual com uma atuação marcante na defesa de propostas e debates em favor do bem-estar da população, com diversas iniciativas de destaque. Uma delas, com repercussão nacional, foi o projeto da Cantina Saudável, para que o alimento comercializado e consumidos nas escolas não contenha produtos nocivos à saúde humana, como açúcares e colesterol. A medida foi vetada pelo Executivo, reapresentada e alterada. Mas Takimoto não desistiu e quer ver esse objetivo atendido na íntegra.

São de autoria do deputado as propostas de criação da Loteria da Saúde, para garantir uma receita extra de reforço ao custeio de intervenções médico-hospitalares a pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS); implantação do Hospital de Psiquiatria e do Serviço de Apoio Psicológico-Psiquiáttrico aos Povos Indígenas; suspensão por cinco anos das licenças para desmatamento da vegetação pantaneira; criação de um corredor ecológico ligando os parques naturais de Várzeas do Ivinhema e da Ilha Grande; instituição do “Agosto Verde”, dedicando o mês a ações preventivas e de combate à depressão, esgotamento, estresse, ansiedade e outras doenças (em conjunto com deputados Paulo Corrêa e Pedro Kemp); obrigatoriedade no uso de separadores magnéticos na produção de alimentos para consumo humano e animal, com objetivo de proteger o organismo contra a contaminação por partículas ferromagnéticas, como o ferro, o cobalto e o níquel.

Outras ações de Takimoto propõem: recenseamento dos índios para dar suporte à criação de política de inclusão social que reduza as desigualdades;fixação do piso salarial profissional para os farmacêuticos (em parceria com os deputados Paulo Siufi, Mara Caseiro e Rinaldo Modesto); criar barreiras de contenção para evitar erosões e assoreamento no Pantanal; proposta estendendo às pessoas jurídicas de direito privado o acesso aos serviços da Defensoria Publica (em conjunto com Marquinhos Trad, Amarildo Cruz, Lauro Davi, Maurício Picarelli e Rinaldo Modesto); difusão da tecnologia da energia solar fotovoltaica no campo, adotando matriz energética mais barata e sustentável; programa e providências para prevenir e combater as causas da mortandade de abelhas e outros polinizadores em Mato Grosso do Sul; instituição de mecanismos legais específicos para proteção das cabeceiras do Rio Paraguai; implantação de ecobarreiras nos mananciais urbanos de Campo Grande (os córregos Prosa, Segredo e Anhanduí)

Fonte: DN
Comentrios.
Deixe um comentrio.