Com investimento de R$ 6 milhões, frigorífico deve contratar até 500 empregados
2018-04-14 10:40:45
Com um investimento de aproximadamente R$ 6,6 milhões, a implantação de um frigorifico em Antônio João, deve gerar até 500 empregos diretos, e manter capital de giro de R$ 26 milhões.

A expectativa é de que a unidade também abata até 500 cabeças de gado por dia. O projeto com a proposta de implantação da unidade foi apresentado, nesta sexta-feira, dia 13, durante reunião na Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), no Parque dos Poderes, em Campo Grande.

O projeto foi elaborado pelo engenheiro especialista na elaboração de projetos executivos de plantas frigoríficas, Ricardo Briso, prevendo chão de fábrica de 2.088 metros quadrados mais anexos, totalizando 2.600 metros quadrados de construção em uma área industrial de 20 hectares.

O engenheiro Ricardo Briso explicou que o projeto foi dividido em três módulos, sendo que na conclusão do primeiro já estará apto para fazer o abate de gado. A capacidade inicial será para o abate de 100 cabeças/dia, podendo chegar a 400 cabeças/dia, com o abate de 50 animais/hora. A estimativa é que inicialmente 20 cabeças vão abastecer o mercado local e as outras 80 serão exportadas pra outro Estado.

O projeto prevê tipo de abate que atende exigência de vários países, inclusive de Israel, sala de desossa e de cortes, entre outras. “Inicialmente serão 70 empregos diretos, depois serão 200 e quando estiver operando com toda a capacidade chegaremos a 500 empregos diretos, além de outros indiretos”, disse o engenheiro. O projeto será financiado, inicialmente, com os recursos dos investidores e nas etapas seguintes contará com financiamento do FCO.

O gado será transportado de confinamentos na região de outros municípios próximos como Bela Vista, Caracol e Porto Murtinho. “A liberação de licença ambiental para frigorífico com capacidade de abate de até 500 cabeças/dia precisa apenas de um processo simplificado. Temos regra estabelecida, é coisa rápida e vamos estar colaborando”, disse o secretário de Estado, Jaime Verruck. 

Somente com o programa Novilho Precoce já foram abatidas mais de 500 mil cabeças em Mato Grosso do Sul. O secretário também orientou sobre parceria com Antônio João para qualificar mão-de-obra local para trabalhar no futuro frigorífico.

Participaram da reunião os investidores, Marcelo Celestino e Eduardo Fernandez; a prefeita Márcia Marques e secretários municipais de Antônio João, Afrânio Marques (Governo) e Jayme Schneider (Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente), e o deputado federal, Fábio Trad.
Fonte: CGN
Comentrios.
Deixe um comentrio.