Polícia mantém hipóteses sobre homicídio, mas aguarda resultado de laudos e oitivas
2018-01-11 09:53:05
A Polícia Civil ainda trabalha com três hipóteses sobre o assassinato da corretora Ana Paula de Souza, de 37 anos, ocorrida na noite do último do domingo, na varanda da casa dela, nas Moreninhas, em Campo Grande. O crime pode ter sido motivado por disputa de herança, envolvimento com o tráfico de drogas e até questão passional. 

O delegado Tiago Macedo, da 4ª Delegacia de Polícia, disse que já foram ouvidas testemunhas, mas ainda é preciso novas oitivas e a chegada do resultado do laudo necroscópico, para identificar o tipo de arma usada, e do laudo de local, que deve trazer informações sobre a dinâmica dos fatos, para que seja definida a principal linha de investigação. "É um trabalho delicado e ainda consideramos todas as possibilidades", pontuou o delegado.

Conforme noticiado, a mulher estava em casa quando um homem vestindo moletom com capuz a chamou no portão. Ela saiu e foi questionada a respeito de uma sala ao lado da residência que está vazia para aluguel. Ao confirmar ser a responsável pelo local, foi baleada com dois tiros. A suspeita é de que o autor tenha sido contratado por terceiros para executá-la.

Uma das hipóteses é relacionada com disputa de herança e pensão. O pai do filho dela morreu e ela acabou perdendo a guarda do garoto, de 13 anos, supostamente por conta do consumo de entorpecentes. Isso gerou atritos entre ela e outros familiares. Além disso, pode ter sido alvo de acerto de contas do tráfico, ou vítima de ciúmes. 
Fonte: CE
Comentrios.
Deixe um comentrio.