Médicos bolivianos voltam a protestar na fronteira contra Evo Morales
2018-01-09 15:28:57

Mesmo espancados e sujeitos a bombas de gás e balas no final de dezembro, médicos bolivianos cumpriram promessa de não se intimidar a violência bolivariana do governo Evo Morales. Ganharam de novo as ruas da fronteira entre Corumbá, Brasil; e Puerto Quijarro, Bolívia; com cartazes e gritos de palavras de ordem, contra a convocação de estrangeiros para ocupar seus lugares, com vantagens que não são oferecidas aos nacionais bolivianos.

Na oportunidade atual, porém, há ingrediente novo. Uma alteração nas leis penais proíbe manifestações, o que o movimento dos médicos também rechaça, por ameaça ao direito de ir e vir e de expressão.  

Há menos de 15 dias o cenário de violência motivou o fechamento da "carretera" formando filas quilométricas de veículos, impedindo o tráfego entre Puerto Suarez a Santa Cruz de La Sierra. E hoje, mesmo aqueles arrependidos por terem votado no que chamam de ‘velho cocaleiro’, não conseguem tirá-lo do poder em que se perpetua por meio de artifícios que dissimulam o regime duro em democracia.

Na manifestação de agora, a Oposição ocupou a Assembléia do país e se considera em greve de fome, até que o presidente recue da decisão ou negocie com os líderes do movimento.

Ao fechamento da matéria veio à informação de que o governo boliviano mandou deletar os vídeos sobre o movimento que estavam sendo publicados pelo jornal ‘El Deber’, o principal do país.

Os médicos bolivianos, ao contrário dos brasileiros que aceitaram os cubanos trazidos por Dilma Rousseff goela abaixo, afirmam que não vão ceder.

Dessa vez a fronteira não foi fechada. Mas, há equipes de choque da guarda de Evo Morales posicionadas para circunscrever o movimento ao menor espaço possível, ou no aguardo da ordem de dissolver a manifestação com o mesmo vigor praticado no ato anterior.

Médicos mobilizaram a cidade ocupando as ruas numa marcha contra a ditadura cubana. Foto: Sylma Lima/Capital do Pantanal
Fonte: CP
Comentrios.
Deixe um comentrio.