Ministério Público Estadual participa de Campanha de Doação de Medula óssea
2017-10-25 08:48:10

A programação da semana do servidor (do dia 23 à 27 de outubro), entre os funcionários do Ministério Público de Mato Grosso do Sul, está voltada para a prevenção e a atenção à saúde. A abertura das atividades foi marcada por palestras, e a adesão de vários integrantes da instituição ao grupo de doadores de medula do estado.

“Mato Grosso do Sul tem mais de cinquenta doadores de medula óssea. Mas temos que reconhecer a dificuldade de se encontrar doadores compatíveis com os pacientes que necessitam de transplante. No Brasil as chances são de um para cada cem mil doadores, e, em outros países, a probabilidade é de se encontrar um voluntário compatível com o paciente para cada um milhão de doadores “, avalia a responsável pelo setor de captação de doadores de medula óssea do Hemosul, Lucéia Maria Fernandes.

Um dos pacientes que recebeu, há menos de um ano, transplante de medula, é o fundador e Presidente do Instituto Sangue Bom, Carlos Rezende, mais conhecido como professor Carlão. Ele revela que a luta pela vida não o fez desanimar, muito pelo contrário, lhe deu disposição para criar o Instituto que coordena, e promover ações de conscientização sobre a importância de ser voluntário para a doação de medula.

“A adversidade me deu força para lutar por uma sociedade melhor. Além de participar de campanhas para a doação de medula, organizo ações solidárias, como cafés da manhã para pacientes que fazem quimioterapia no Hospital Regional, assistência a moradores de rua da Capital, e o apoio ao atendimento odontológico de pacientes com câncer”, enumera professor Carlão.

 Quem pode ser doador de medula óssea – Pessoas entre 18 e 55 anos, que estejam em boas condições de saúde, ou seja, que não são portadoras de nenhuma doença mais séria, como câncer ou hepatite B ou C. Para se cadastrar como doador é necessário a coleta de 5ml de sangue, que será analisado em laboratório, e a inscrição no REDOME – Registro Brasileiro de Doadores Voluntários de Medula Óssea do INCA , Instituto Nacional do Câncer. Os dados genéticos do voluntário são cruzados com os dos pacientes que precisam da medula. Se der compatibilidade genética, a doação pode ser realizada.

 De acordo com especialistas, o transplante de medula óssea (responsável por produzir os componentes do sangue, como os glóbulos brancos, os glóbulos vermelhos e as plaquetas) é o tratamento indicado para portadores de leucemia e outras doenças do sangue. Para obter mais informações sobre o transplante e a doação de medula óssea, é só entrar em contato com o Hemosul, que fica na avenida Fernando Corrêa da Costa, 1304, tel: (67) 3312-1500.

Fonte: PE
Comentrios.
Deixe um comentrio.