Deputados questionam reajuste e cobram explicações da concessionária
2017-09-13 11:48:32

O aumento de 8,6% nos nove pontos de pedágio da BR-163 em Mato Grosso do Sul, conforme resolução da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) publicada ontem no Diário Oficial da União, tomou conta dos debates entre os deputados na sessão desta quarta-feira, 13, na Assembléia Legislativa.

Os parlamentares questionaram o aumento e cobraram explicações não apenas da concessionária, a CCR MSVia, mas também da ANTT por ter autorizado o reajuste, tanto que o presidente da Casa, deputado Junior Mochi (PMDB) anunciou que vai convidar representantes da empresa e da agência reguladora para uma reunião.

“A CCR tem mesmo que vir a Assembléia explicar os motivos para o reajuste e tornar mais transparente o reajuste e todo o processo da obra de duplicação da rodovia. Toda a população , especialmente dos municípios por onde passa a BR-163 precisa entender porque irá pagar mais caro pelo pedágio”, disse o deputado João Grandão (PT).“Tivemos uma longa paralisação da obra, e a empresa assumiu o compromisso de fazer algumas adequações no projeto porque muitos municípios estão reclamando que o trajeto pode dificultar o acesso e afetar o comercio, hotéis, restaurantes, enfim, tudo isso tem que ser explicado”, ressaltou ele.

Paulo Siuff (PMDB) avalia que o momento é inadequado para qualquer tipo de reajuste e que a empresa deveria se adequar à realidade do momento atual da economia brasileira, abaixando os preços e não aumentando. Médico pediatra, ele contou que fez exatamente isso em seu consultório.

“Tive que me adaptar a situação econômica e abaixei os preços das minhas consultas. Então por que a CCR não pode abaixar o preço do pedágio ao contrário de reajustar?”, questionou Siuff. Ele defende que o governo estadual intervenha no assunto e propôs o agendamento de reunião ou até mesmo a convocação da direção da empresa e da ANTT para uma audiência pública.

O deputado Beto Pereira (PSDB) considerou o reajuste uma afronta à população de Mato Grosso do Sul.“Apesar de ser uma concessão federal, onde as autoridades estaduais não têm competência para interferir na situação, convenhamos que é inaceitável a empresa aumentar o preço do pedágio enquanto as obras estão em ritmo de tartaruga”, comentou.

Junior Mochi: “Vai convidar a direção da CCR para uma reunião ou encontro na AL, mas quer também representa da ANTT na reunião. Foi quem autorizou o reajuste”.

Histórico – De acordo com a resolução da ANTT, os reajustes nos nove pontos de pedágio na BR-163 entrarão em vigor a partir desta quinta-feira, 14. Na cidade de Mundo Novo, a tarifa passa de R$ 4,60 para R$ 5. Em Itaquiraí/Naviraí, o valor aumenta de R$ 6,50 para R$ 6,90. No município de Caarapó, passa de R$ 6,50 para R$ 7,00. Em Rio Brilhante, a tarifa sobe de R$ 6,60 para R$ 7,00.

Em Campo Grande, o preço sobe de R$ 7,40 para R$ 7,80. No posto de Jaraguari, o aumento é de R$ 5,60 para R$ 6,00. Na cidade de São Gabriel do Oeste, o valor passa de R$ 5,50 para R$ 5,90.

Em Rio Verde, aumenta de R$ 7,30 para R$ 7,80. No município de Pedro Gomes, sobe de R$ 5,40 para R$ 5,80. Caso um carro passe por todos os postos de pedágio, de Mundo Novo a Pedro Gomes, o gasto, atualmente, é de R$ 55,40. Com os novos valores, sobe para R$ 59,20.

Fonte: CGN
Comentrios.
Deixe um comentrio.