Professor de teatro preso por abusar de aluno confessou crime, diz polícia
2017-09-12 12:40:37

Ator e professor de teatro de 55 anos, acusado de abuso sexual a um aluno de 12 anos, confessou o crime, de acordo com a Polícia Civil. O homem, que não tinha passagem pela polícia, está preso desde ontem (11) no IPCG (Instituto Penal de Campo Grande) - em uma das duas alas da penitenciária destinada a presos por crimes sexuais. Para preservar a vítima, os nomes dos envolvidos não serão divulgados nesta reportagem.

Conforme a delegada Marília de Brito Martins, da Depca (Delegacia de proteção à Criança e ao Adolescente), até agora já foram ouvidos os policiais, que atenderam a ocorrência no dia da denúncia, a mãe, a vítima e o autor. O professor confessou o crime, segundo a polícia.

Próximo passo, de acordo com a autoridade policial, será ouvir as duas pessoas que estavam com o garoto e o adulto no último sábado (dia 9), quando ocorreu o último abuso - descoberto pela família da vítima. Para concluir o inquérito, a polícia aguarda o resultado da perícia nos objetos apreendidos na casa do professor e o laudo do corpo de delito realizado no menino.

O autor pode responder por mais um crime se ficar comprovado que armazenava imagens de pornografia envolvendo crianças e adolescentes. Ainda será investigado se houve mais vítimas. A delegada faz um alerta e diz que os pais precisam ficar atentos em relação a conversas dos filhos pelo celular - facilitador de acesso a esses crimes de cunho sexual. A reportagem tentou falar, por mensagem via Facebook, com o grupo teatral que o professor faz parte, mas não obteve retorno. 

 O caso - A mãe de 28 anos foi quem descobriu os abusos depois de flagrar conversas obscenas entre o autor e o filho, no WhatsApp. De acordo com a polícia, a mãe resolveu olhar o celular do filho, que raramente fica desbloqueado, quando encontrou conversas com teor sexual entre o menino e o professor de teatro. Nas mensagens, o homem marcava encontros com a criança e dizia palavras obscenas.

A mãe, então, questionou o garoto sobre o que havia visto. Ele acabou contando que já tinha tido alguns encontros com o professor, em que o homem o obrigou a praticar sexo oral. À polícia, a mãe disse ainda que, como confiava no homem, havia autorizado o filho a fazer uma viagem com ele para Ponta Porã há alguns dias. O garoto contou que nesta viagem ficou na casa de um irmão do professor e dormiu no mesmo quarto que ele. Lá, teriam ocorrido outros abusos.

Os celulares do garoto e do professor, além de um CPU, HD’s e pendrives, foram apreendidos pela polícia. O menino passou por exames de corpo de delito que devem confirmar os estupros. O ator/professor passou por audiência de custódia na manhã de ontem e teve a prisão em flagrante convertida para preventiva.

Fonte: CGN
Comentrios.
Deixe um comentrio.