"Todas as Manhãs do Mundo" será exibido no Festival de Inverno de Bonito
2017-07-27 11:54:00
Documentário de Lawrence Wahba terá palestra com autor após exibição em Bonito
Neste domingo (30), às 9:00 h será exibido o documentário que tem o mergulhador Lawrence Wahba como diretor e autor, "Todas as Manhãs do Mundo", na programação do 18º Festival de Inverno de Bonito.Após a exibição terá uma palestra com Lawrence Wahba quando falará sobre as dificuldades na captação das imagens e mais de 40 países, registrando o amanhecer em diversas situações.

Equipes em vários continentes, anos de produção e tecnologia de ponta podem resultar em uma superprodução que, a cada cena, evidencia seu caráter grandioso. Mas todo esse aparato pode também dar origem a um filme simples e belo.

"Todas as Manhãs do Mundo" se enquadra nessa última categoria. É simples sobretudo porque parte de um mote de fácil compreensão.

O filme se propõe a apresentar a natureza –a fauna, especialmente– em diferentes lugares do mundo nos instantes em que surgem os primeiros raios de sol.

Para criar uma narrativa capaz de dar coesão às imagens, o diretor e produtor Lawrence Wahba convidou o roteirista Rubens Rewald, que, por sua vez, entregou a condução da trama aos personagens Água (voz de Letícia Sabatella) e Sol (Aílton Graça).

Surge daí um novo exemplar do que se convencionou chamar de "docudrama". Neste caso, voltado principalmente às crianças, mas capaz de agradar também aos pais –é evidente a influência do filme francês "A Marcha dos Pinguins" (2005).

A narração costurada por Rewald certamente contribui para o ritmo do filme. Mas de nada serviria sem o impacto das imagens.

A beleza de "Todas as Manhãs" está na seleção rigorosa de registros obtidos em países como Zâmbia, Botsuana, Indonésia, Noruega, Canadá, México e Brasil. O trabalho de filmagem se estendeu por 44 semanas, entre 2010 e 2015.

Nas savanas africanas, os embates entre grupos de leões e búfalos intercalam força, velocidade e cálculo.

No Pantanal, a onça perde a pose majestosa ao ser perseguida por um grupo de ariranhas. Mas não se dá por vencida: cai nas águas do rio para abocanhar um jacaré.

E por aí vai o "docudrama", com ursos, hipopótamos, pinguins se alternando como protagonistas.

Em alguns momentos, a música ganha presença ostensiva quando deveria ser discreta. É um ruído, mas não chega a ser problema grave.

Com mais de duas décadas de produções ligadas à natureza, o paulistano Wahba atinge, aos 48 anos, seu ápice profissional com "Todas as Manhãs do Mundo".

TODAS AS MANHÃS DO MUNDO 
DIREÇÃO Lawrence Wahba
NARRADORES Letícia Sabatella e Aílton Graça
PRODUÇÃO: Brasil, 2017, livre
DATA: domingo, 30 de julho de 2017
HORÁRIO: 9:00 h
LOCAL: Sebrae/Bonito
Fonte: FSP
Comentrios.
Deixe um comentrio.