Traficante teria mandado matar jovens ao ser preterido no amor e no crime
2017-06-09 15:27:36

A disputa pelo comando de ‘negócios’ relacionados ao tráfico de drogas teria motivado Juliano Pereira, 39 anos, a ordenar a execução da ex-mulher Fabiana Aguayo Baez, 23 anos, e da irmã dela Adriana Aguayo Baez, 28, na quarta-feira (7), no bairro Obreiro, em Pedro Juan Caballero, Paraguai.

De acordo com o delegado Rodolfo Daltro, do SIG (setor de Investigações Gerais) de Ponta Porã, as investigações apontam que Fabiana teria 'tomado as rédeas' das negociações de drogas, antes feitas pelo marido, o que acabou incomodando Juliano, que está preso em Campo Grande.

Depois, a jovem teria terminado o relacionamento com o marido em uma das visitas que fez a ele na cadeia, há cerca de 30 dias, o que fez com que Juliano tentasse matar a esposa dentro do presídio na Capital, conforme o delegado.

Insatisfeito com o comportamento da mulher, Juliano teria encomendado a morte de Fabiana, que foi sequestrada e executada junto com a irmã, nesta quarta-feira (7).

Conforme a polícia, a princípio, Adriana não estava envolvida com os negócios ilícitos da família e só foi morta porque estava em companhia da irmã. As duas deixam cinco filhos, ainda crianças.

O caso – Fabiana e Adriana foram sequestradas no bairro Obreiro, em Pedro Juan Caballero. Elas estavam em casa quando homens armados e encapuzados chegaram em caminhonetes, invadiram o local, mataram o cachorro com três tiros de pistola 9 mm e levaram as irmãs.

Durante a madrugada, uma caminhonete Ford Ranger foi encontrada em chamas em uma estrada de terra de Pedro Juan Caballero, a 10 km da cidade, como mostra o vídeo abaixo. Os corpos sem cabeça foram carbonizados na carroceria da caminhonete.

Separadas dos corpos com uma motosserra e um facão, as cabeças foram localizadas na manhã de ontem . Elas estavam enroladas em saco de plástico preto e jogadas na mata, nas proximidades do local onde os corpos foram carbonizados.

Relação – O marido de Fabiana está preso em Campo Grande após ser acusado de cometer uma série de assaltos na região de Amambai (a 360 km da Capital). Em 2011, aproveitou a mudança para o regime semiaberto para se envolver com o tráfico. Foi quando se aproximou de Fabiana e iniciou o romance.

A polícia do Estado evita falar abertamente, mas o Campo Grande News apurou que uma das funções de Pereira no PCC (Primeiro Comando da Capital), facção criminosa que atua dentro e fora dos presídios, seria cuidar do transporte e entrada das drogas no País vindos pelo Paraguai.

Testemunhas já ouvidas pelas autoridades paraguaias apontaram que Pereira vinha ameaçando a jovem desde a separação, mas ainda não há certeza de que foi apenas pelo fim do relacionamento entre eles.

A única garantia até aqui das polícias é que a ordem para as execuções tenham partido de dentro do presídio. O que pode motivar uma operação no local nos próximos dias.

Fonte: CGNews
Comentrios.
Deixe um comentrio.