Municípios da Serra da Bodoquena reabrem o turismo e Fundtur discute pós-pandemia
2020-06-29 09:44:42
Embora ainda não tenha uma data exata para anunciar a retomada das atividades turísticas em Mato Grosso do Sul como um todo, o CET (Conselho Estadual de Turismo) realizou nesta semana reunião para tratar do pano estratégico para a reabertura do setor.

Alguns municípios já anunciaram isoladamente a reabertura de atrativos em uma área seriamente atingida pela pandemia de coronavírus (Covid-19). Bonito, onde cerca de 80% da economia gira em torno do setor, Bodoquena e Jardim pretendem retomar as atividades a partir de 1º de julho, após mais de 3 meses de interrupção.

Em Miranda, desde 15 de junho o setor retomou as hospedagens e visitações, mas restringiu o acesso a moradores de regiões que registraram alta incidência de coronavírus, como São Paulo, Amazonas, Dourados e Guia Lopes da Laguna, entre outras.

Em todos os casos, porém, o turismo retornou dentro do “novo normal”, isto é, sob regras de biossegurança contra a Covid-19 –uso de máscaras, distanciamento social e outras medidas adotadas por hotéis e atrativos para evitar o espalhamento da doença.

Na reunião virtual, coordenada pela Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul, cada entidade integrante do CET apresentou as ações tomadas durante a pandemia.

“Este é um plano de estratégias para quando a reabertura do turismo for segura para todos. Estamos trabalhando em vários eixos como os protocolos de segurança, governança, pesquisa e promoção para que todos os destinos do Mato Grosso do Sul tenham uma estratégia conjunta, por mais que cada um faça a retomada em tempos diferentes”, explicou Bruno Wendling, presidente da Fundtur.

“O objetivo é termos um norte para trabalharmos a retomada do turismo de Mato Grosso do Sul quando ela acontecer, com destinos turísticos alicerçados em ações estratégicas para que as intervenções sejam eficazes e eficientes”, reiterou.

Estudos de impacto econômico realizados no WTTC 2020 (World Travel & Tourism Council), viagens e turismo estão entre os setores mais afetados pela pandemia: suspensão de voos, fechamentos de hotéis e restrições de viagens em quase todos os países do mundo atingiram a cadeia produtiva do setor, que abarca da hotelaria e restaurantes a operadores de turismo, empresas de transporte e de aluguel de veículos, entre outras.

O plano discutido no Estado envolve o suporte e retomada desses setores, visando a uma reestruturação. Wendling também explicou que há interlocução com o Governo Federal e entidades parceiras de forma a ajudar o trade, cujos trabalhadores e empresários sofreram dificuldades.

A OMT (Organização Mundial do Turismo) avalia que os segmentos turísticos em alta no pós-pandemia serão o rural, de natureza, bem-estar, ecoturismo, turismo de aventura e o gastronômico, segundo informou a Fundtur.
Fonte: MM
Comentrios.
Deixe um comentrio.