Conheça os bilionários da saúde que ficaram ainda mais ricos com o coronavírus
2020-05-22 14:44:47
Depois que a Organização Mundial da Saúde (OMS) classificou a Covid-19 como uma pandemia global em 11 de março, as bolsas de valores entraram em colapso em todo o mundo e a Dow Jones registrou sua pior venda desde 1987. Embora os mercados tenham se recuperado um pouco, um grupo de empresas nunca foi atingido. Pelo contrário, cresceu constantemente: negócios de equipamentos de saúde negociados publicamente com foco em vacinas, tratamentos e kits de teste. As ações dessas empresas, que estão trabalhando desesperadamente para derrotar o vírus, registraram um aumento notável nas últimas sete semanas, criando um novo bilionário e aumentando a fortuna de pelo menos mais nove.

O vencedor mais notável é o novo bilionário Stéphane Bancel, CEO da Moderna, sediada em Cambridge, Massachusetts, que foi a primeira empresa a iniciar testes em humanos de uma vacina para Covid-19 em 16 de março em Seattle. Quando a OMS declarou a pandemia, o patrimônio líquido estimado do Bancel era de cerca de US$ 720 milhões. Desde então, as ações de Moderna subiram mais de 103%, elevando sua fortuna para cerca de US$ 1,5 bilhão. Cidadão francês, Bancel conseguiu o status de bilionários em 2 de abril, quando as ações da Moderna subiram com a notícia de que a empresa planejava começar a fase dois dos testes de sua vacina.

Bancel é o maior ganhador em termos percentuais, com seu patrimônio líquido crescendo 109% nas últimas sete semanas. Na segunda posição, está o empresário em série Gustavo Denegri, cujo patrimônio líquido aumentou 32%, ou US$ 1,1 bilhão, graças à sua participação de 45% na empresa italiana de biotecnologia DiaSorin.

Os maiores ganhadores de dólares foram o bilionário francês Alain Mérieux, fundador da fabricante de testes de diagnóstico BioMérieux (onde Bancel foi CEO até 2011), e Seo Jung-Jin, CEO da empresa biofarmacêutica sul-coreana Celltrion, que ficaram cerca de US$ 1,5 bilhão mais ricos desde 11 de março. A BioMérieux e a DiaSorin são atores-chave na corrida para expandir os testes para a Covid-19: ambas as empresas lançaram kits de diagnóstico para a doença no final de março.

Os dez bilionários são oriundos de sete países diferentes, com apenas dois norte-americanos: Leonard Schleifer e George Yancopoulos, da empresa farmacêutica de Nova York, Regeneron
Fonte: Forbes
Comentrios.
Deixe um comentrio.