Érico Brás rebate as críticas ao programa ‘Se Joga’, da Globo
2019-12-02 13:44:12
Érico Brás, apresentador do vespertino Se Joga, da Rede Globo, ao lado de Fabiana Karla e Fernanda Gentil, fala sobre as críticas que a atração tem recebido e a batalha para conquistar a liderança de audiência nas tardes de segunda a sexta.

O programa Se Joga recebe críticas por ser informal demais para os padrões globais. O senhor concorda?  O programa é feito para o povo brasileiro e, portanto, acerta ao apostar na diversidade. Os apresentadores são reflexo do Brasil. Vamos calibrando para atender à vontade do público, para que ele se enxergue na atração. Vencemos em audiência no país todo, só empatamos ou ficamos em segundo em São Paulo. Mas com certeza vamos mudar isso.

O senhor veio do teatro e da teledramaturgia. Como foi a guinada para a apresentação? Eu leio todos os jornais todos os dias, algo fundamental sobretudo para quem trabalha ao vivo, e assisto aos programas de outras pessoas. Gosto muito do trabalho do americano Steve Carell. Vejo o Faustão, o Silvio Santos e até edições antigas, como os programas da Hebe Camargo.

Por que vemos poucos negros na TV? O Brasil tem o racismo em seu DNA. Nós ajudamos a construir o país, mas há um processo de fabricação da morte desse povo. Por outro lado, acho que a Globo está preocupada em preencher essa lacuna. Vemos a Maju Coutinho no Jornal Hoje e, em seguida, já estou no Se Joga. É uma vitória da diversidade.
Fonte: Veja
Comentrios.
Deixe um comentrio.