Ele estava trabalhando, como isso foi acontecer?, diz cunhado de entregador eletrocutado
2019-11-14 12:02:26
Momentos de tensão, choro e oração marcaram o acidente elétrico que matou nesta manhã, o entregador de carvão Edilson Cabral Pereira, de 49 anos, na Rua Ana Luiza de Souza, no bairro Pioneiros. Bastante conhecido na região pelas entregas e também por frequentar o comércio da redondeza, o fato deixou os moradores e comerciantes sem acreditar no que tinha acabado de acontecer. A família então, ficou sem chão.  “Me avisaram e eu vim imediatamente, ele estava trabalhando, como isso foi acontecer?”, disse o cunhado da vítima que estava desesperado. 

Devido a gravidade do acidente a rua inteira precisou ser interditada por conta dos fios energizados que estavam caídos no chão. Segundo a concessionária responsável pela energia elétrica da cidade, a Energisa, passaram pelos fios da quadra cerca de 13 mil volts e como apenas dois fios caíram após a explosão do padrão, a vítima foi atingida por aproximadamente 9 mil volts. 

Olga Soares é cunhada de Edilson e bastante abalada não conseguiu falar muita coisa. Em meio ao choro, ela estava dando apoio a esposa da vítima e o filho que estava no local. “Ele não era só meu cunhado, era como se fosse um irmão para mim. A gente mora aqui na região, ele viajava direto e a minha irmã sempre ficava preocupada com ele na estrada mas nunca aconteceu nada, e ele trabalhando aqui aconteceu essa tragédia”, contou Olga. 

O desespero de todos foi tanto que a esperança era que a reanimação trouxesse de volta Edilson. A irmã, Clarice clamou em orações ajuda para salvar o irmão enquanto os socorristas tentavam até suas últimas forças reanimar a vítima.

Mesmo após 1h10 de reanimação, as esperanças da família que aguardava chorando do lado de fora da ambulância acabou. Edilson não resistiu os ferimentos e a alta carga da voltagem e morreu vítima de uma parada cardiorrespiratória. Dor e desespero tomaram conta da esposa, do filho, da irmã e outros parentes que foram chegando ao local. A esposa, até passou mal no pátio do posto de gasolina. O pai da vítima, foi avisado por telefone, mas para a mãe de Edilson ninguém conseguiu dar a notícia imediata. 

Colegas de trabalho do entregador estavam aguardando tentando dar algum apoio a família. Um dos amigos, que não quis ser identificado disse que Edilson trabalhava na empresa há três anos e era uma pessoa incrível. “Sempre trabalhou bem, nunca faltou, era um colega muito bom”, disse o colega. 

O corpo da vítima foi levado em ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). A via foi liberada pois não havia mais perigo dos fios, que foram desligados pela Energisa. 

OUTRO CASO
Na segunda-feira, o eletricista André Luiz Ramires de 42 anos morreu eletrocutado no município de Brasilândia, região leste de Mato Grosso do Sul. Ele trabalhava na expansão da rede de energia de uma fazenda quando teria tocado um fio energizado de um poste. Ele utilizava ferramentas de metal e a Polícia Civil vai apurar o caso. 
Fonte: CE
Comentrios.
Deixe um comentrio.